quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Projeto vai treinar funcionários do varejo sobre consumo de sacolas plásticas

As sacolas plásticas não precisam ser banidas, mas usadas conscientemente, reutilizadas e descartadas adequadamente. A avaliação é do presidente do Instituto Nacional do Plástico (INP), Paulo Dacolina.

Para divulgar a ideia e conscientizar os consumidores, a entidade lançou hoje (21), no Rio de Janeiro, a Escola de Consumo Responsável, projeto itinerante que pretende treinar funcionários das redes varejistas sobre formas de utilizar as sacolas reduzindo os prejuízos ao ambiente.

De acordo com Dacolina, não adianta enxergar o produto como vilão, mas ampliar sua vida útil.

“Estamos abrindo uma escola para treinar funcionários de redes varejistas, como supermercados, a se tornarem multiplicadores dos conceitos de redução do consumo das sacolas, sua reutilização e envio para centrais de reciclagem.

Se conseguirmos sensibilizar metade das pessoas que passam pelos caixas dos supermercados, teremos uma redução de uso de cerca de 30% das sacolas”, afirmou.

O presidente do INP também destacou que a entidade tem estimulado o setor a oferecer sacolas mais resistentes, produzidas segundo os padrões da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

“Quando produzida dessa forma, a sacola tem peso de 4,5 gramas e carrega 6 quilos. Se for tratada convenientemente, a reutilização permite a ela uma segunda vida sem que seja necessário um novo gasto de energia para produzi-la”, destacou.

De acordo com o deputado estadual e ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc (PT), que também participou do lançamento do programa, a iniciativa é “louvável”, embora não resolva o problema totalmente.

Minc é o autor da Lei Estadual 5.502/09, que estimula a redução gradativa do uso das sacolas plásticas nos supermercados do Rio de Janeiro.

“Essas iniciativas que incentivam a redução do uso devem ser louvadas, mas não são completamente suficientes, porque o plástico vem do petróleo, então a própria produção já tem a ver com emissão de carbono.

Mas é verdade que o maior problema do plástico é o descarte. Cerca de 17 bilhões de sacolas plásticas são jogadas no lixo no Brasil a cada ano”, destacou.

O treinamento desenvolvido pela Escola de Consumo Responsável já foi realizado, como projeto piloto, levando os conceitos a 400 colaboradores em sete supermercados no Rio de Janeiro.

De acordo com cálculos do INP, com a ação, o desperdício de sacolas plásticas teve redução de aproximadamente 15% em um mês.

Para participar do treinamento, que é gratuito, os interessados podem entrar em contato com os responsáveis pelo projeto por e-mail (inp@inp.org.br).

Fonte: Da Agência Brasil - 21/10/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário