sexta-feira, 4 de março de 2011

Pernambuco: O crescimento em ritmo chinês

Apenas a China cresceu mais que Pernambuco. O desafio é espalhar riquezas no estado

O crescimento registrado pelo PIB pernambucano, de 9,3% em 2010, segue o ritmo chinês. Considerando o grupo dos principais países desenvolvidos e aqueles em desenvolvimento, apenas a China cresceu mais do que Pernambuco (10,3%).

O grande desafio, agora, é espalhar essa riqueza, traduzindo-a em melhores condições de vida para os pernambucanos do Litoral ao Sertão.


Clique aqui para ampliar
O secretário de Planejamento, Alexandre Rebêlo, destaca que as ações do governo têm tido um reflexo direto no PIB. Em 2010, o governo do estado investiu R$ 2,5 bilhões em diversas áreas e quer, no mínimo, repetir o feito neste ano, quando a soma de todas as riquezas deverá ultrapassar a marca dos R$ 100 bilhões (hoje é de cerca de R$ 88 bilhões).

´Nossa preocupação é transformar a pujança em melhorias para o estado e o povo. Passamos de uma média de investimento anual de R$ 688 milhões, no período 2003-2006, para R$ 1,67 bilhão entre 2007-2010 - um aumento de 144%. `, comparou Rebêlo.

Segundo ele, os investimentos se concentraram nas áreas de saúde(média de R$ 151 milhões ao ano entre 2007 e 2010), educação (R$ 151 milhões) e segurança (R$ 64 milhões). Como resultado, teria havido uma redução de 28% na taxa de homicídios no estado (40% na Região Metropolitana do Recife).

Nos hospitais e unidades de pronto atendimento (UPAs) foram realizadas 2,5 milhões de consultas e 11 mil cirgurgias.

´Além disso, construímos sete escolas técnicas e houve melhora em todas as notas do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Até 2014 vamos chegar a uma rede de 60 escolas técnicas`, ressalta o secretário de Planejamento. Os investimentos públicos, somados aos privados, também resultaram em mais empregos para os pernambucanos - 111 mil novas vagas com carteira assinada em 2010, de acordo com dados do Cadastro Geral e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.
No país, foram 2,52 milhões de empregos, recorde histórico.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, a trajetória de crescimento da economia pernambucana é sustentada e de ciclo longo, descolando-se do crescimento brasileiro.

Como exemplo, ele cita a média anual de crescimento do PIB pernambucano, que ficou em 6,6% no período 2007-2010, contra uma média anual de 4,0% do PIB brasileiro no mesmo período. ´É uma média 70% maior. O que a gente quer é traduzir esses números da área econômica para a área social, reduzindo déficits históricos`, afirmou.

Os sinais de aquecimento da economia pernambucana estão por todos os lados. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por exemplo, pulou de 1,9 mil operações (R$ 600 milhões) em 2006 para 13,96 mil operações (R$ 4,2 bilhões) em 2010 - aumento de mais de 600%.

Do total de R$ 4,2 bilhões aplicados, R$ 1,36 bilhão ficaram fora da Região Metropolitana do Recife. Já o Banco do Nordeste elevou os aportes no estado de R$ 950 milhões, em 2006, para R$ 3,1 bilhões em 2010. (Micheline Batista)

"Nossa preocupação é transformar a pujança em melhorias para o estado e o povo" Alexandre Rebêlo, secretário de Planejamento

Fonte: Diário PE - 04/03/11

Nenhum comentário:

Postar um comentário