quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Igreja das Fronteiras será reaberta neste domingo no Recife

Missa e reflexão histórica no templo onde dom Helder Camara viveu por 31 anos. Principal altar do local foi reconstruído



Domingo serão celebrados os 107 anos de nascimento de dom Helder Camara, embora a data tenha sido 7 de fevereiro
O principal dos altares da Igreja das Fronteiras, do século 17, precisou ser reconstruído. A peça teve parte da madeira substituída e será oficialmente entregue pelos restauradores no próximo domingo. Além do valor arquitetônico, ela é referência na história de dom Helder Camara, arcebispo de Olinda e Recife (1964-1985) e cuja abertura do processo de beatificação e canonização foi autorizado, em maio de 2015, pelo Vaticano. Dom Helder montou o seu quarto nos fundos do altar-mor desse templo da Boa Vista, onde viveu por 31 anos.

As melhorias no altar integram o projeto de recuperação da igreja, financiado pela iniciativa privada. Em pouco mais de dois meses de serviços, restaurou-se também esquadrias e se fez a limpeza e a pintura dos santos, além da descupinização. Os técnicos descobriram uma camada de tinta mais clara do que a cor original da pele do Cristro Crucificado. O tom original foi devolvido à peça sacra.

A reabertura da Igreja das Fronteiras acontecerá no mesmo dia em que serão celebrados os 107 anos de nascimento de dom Helder Camara, embora o sacerdote tenha nascido em 7 de fevereiro. O adiamento ocorreu devido às obras. As comemorações terão no primeiro momento a reflexão do historiador e do professor da Universidade Federal de Pernambuco Biu Vicente sobre alguns caminhos ecumênicos de dom Helder. O arcebispo, falecido em 1999, defendia que religiões e culturas se unissem para construir uma sociedade mais justa.

Em 1970, por exemplo, dom Helder participou da Conferência das Religiões para a Paz em Kyoto, no Japão. No encontro, o sacerdote pediu para que as religiões testemunhassem o serviço dos excluídos e contemplassem em todos os seres humanos o rosto de Deus. A defesa desse diálogo recebia apoio, mas também era acompanhado de críticas pelos conservadores da Igreja Católica. Esse setor católico questionava, às vezes em público, as posições do arcebispo relativas aos presos políticos, defesa dos trabalhadores.

O segundo momento das comemorações programadas pelo Instituto Dom Helder Camara (IDHec) será uma missa, presidida pelo padre José Augusto Rodrigues Esteves. À frente da Paróquia de São José, no Recife, o padre também é capelão da Igreja das Fronteiras. A missa começará 11h.

Diario PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário