quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Martorelli traça meta de 50 mil sócios para o Sport Recife até o fim do ano

Presidente destaca mudança de postura do Sport em relação aos associados e encara com naturalidade aumento pretendido no quadro de associados

Líbia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo Martorelli mostrou o seu raciocínio sobre a forma como o Sport deve se comportar 
Líbia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo
Desde que assumiu a presidência do Sport, em 2013, João Humberto Martorelli defende dois pontos como principais em sua gestão: a profissionalização do clube e a evolução no tratamento dado aos sócios. Ambicioso, o mandatário confirmou, em reunião com a imprensa local, nessa terça-feira (23), que pretende bater a marca de 50 mil associados ao término deste ano - no momento, o Leão conta com um quadro de 28 mil rubro-negros vinculados.

"Já conseguimos passar de oito mil para 28 mil sócios adimplentes. Levando-se em conta que temos 3,5 milhões de torcedores, de acordo com as pesquisas, consideramos que ter entre 1,5% e 2% de aumento é um objetivo razoável. Cinquenta mil associados, portanto, não foge da realidade. Inclusive, é um número que bate com nossa base de 64 mil sócios. A questão é que desse quantitativo, muitos eram inadimplentes", analisou o presidente leonino.

Saindo um pouco dos números e projeções, Martorelli mostrou o seu raciocínio sobre a forma como o Sport deve se comportar para alcançar suas metas no quadro de sócios e apontou os fatores que, em sua opinião, fazem a diferença no momento de atrair a atenção do torcedor. 

"Acho que estamos encontrando o caminho certo. As duas grandes questões que influenciam a associação dos torcedores são as seguintes: o desempenho do futebol, que mexe com a empolgação dos rubro-negros, e a postura do clube em relação aos sócios. Antes, não tínhamos muitos adimplentes, pois o Sport não trabalhava para os associados. Hoje, temos uma estrutura voltada para eles", detalhou o mandatário.

Fechando a temática, o presidente destacou serviços oferecidos e outros que pretende introduzir nessa mudança de atitude em relação aos associados. "Hoje, temos associação pela internet e um telemarketing que vai atrás dos inadimplentes. Procuramos identificar o que o sócio deseja receber", disse.


por Fernando Sposito

Nenhum comentário:

Postar um comentário