sexta-feira, 18 de março de 2016

Academias investem em luxo e conceito de boutique para atrair público premium

Academias Boutique oferecem serviços típicos de spas (Divulgação)

Academias Boutique oferecem serviços típicos de spas (Divulgação)

Academias são um negócio em expansão, é certo. Mas, nos últimos tempos vemos uma diferenciação nos serviços oferecidos. Há anos eu frequento academias no Brasil e em outros países, onde morei. E sempre fico de olho naquela que é a mais próxima ou que tem novidades.

Agora, estão surgindo as academias transformadas em centros de … de tudo. Para um público selecionadíssimo pelo poder de compra. Onde malhar é só um dos atrativos. E onde os frequentadores também têm à sua disposição serviços típicos de spas: toalhas geladas e frutas frescas, restaurantes de comida saudável, lounges para relaxar ou ler e vestiários supermodernos e luxuosos.

Essas “academias boutique” têm algo em comum: em nada se parecem com os espaços sem charme e com pouco conforto de anos atrás. A Les Cinq Gym, por exemplo, que fica no bairro do Jardins, em São Paulo, se parece mais com um hotel de luxo. É só chegar na recepção que dá aquela vontade de fazer check-in. Mas além da arquitetura moderna e elegante, a academia do personal trainer Rodrigo Sangion oferece ainda vestiário com pedras naturais e cascatas, sala de maquiagem, Oxigen Bar – sim, um bar de oxigênio – estações de carregamento de celular e uma pista de cooper a céu aberto.

 Sala de musculação da Les Cinq (Divulgação)
Sala de musculação da Les Cinq (Divulgação)

A Reebok Sports Club, também localizada na capital paulista, com duas unidades na Vila Olímpia e Jardins, foi uma das precursoras desse segmento em São Paulo. São academias gigantes – a maior tem 6.580 metros quadrados – com equipamentos de última geração, aulas das mais variadas e Spas para os momentos de relaxamento.

Piscina da academia Reebok (Divulgação)
Piscina da academia Reebok (Divulgação)

Uma marca em especial, no entanto, conseguiu manter o alto-padrão e se multiplicar pelo Brasil afora. A Body Tech, marca que existe há 25 anos, renasceu em 2005, quando foi adquirida pelo grupo Accioly Fitness com o propósito de se tornar a maior e melhor rede de centros de atividades físicas do Brasil.

O objetivo era criar um ambiente agradável, bonito, que servisse para a família inteira frequentar”, diz Alexandre Accioly, sócio-fundador da rede. O empresário rodou o mundo para conhecer as melhores e mais luxuosas academias e importar know how para entrar com tudo no mercado brasileiro. O grupo possui 102 academias no Brasil sendo 50 da marca Body Tech, e 47 da Fórmula, com um perfil mais acessível ao público. A unidade do Shopping Iguatemi, em São Paulo, é a mais luxuosa da rede e, além de todos os diferenciais, conta ainda com um vestiário com cabines privativas e maquiador para as clientes.

Mas não pense que o luxo e a beleza das unidades fazem o serviço sozinhos. O relacionamento com os clientes é o mais importante de tudo. “Malhar para mim é trabalho”, diz Accioly, que frequenta as academias como aluno, cada dia uma diferente. Ele conversa com os clientes, escuta os problemas, busca a solução e implementa.

Sala de musculação da Body Tech, no Shopping Iguatemi, em São Paulo (Divulgação)

Sala de musculação da Body Tech, no Shopping Iguatemi, em São Paulo (Divulgação)

Alexandre Accioly – sócio-fundador da Body Tech: “O negócio é uma consequência da relação com o cliente”.
Independentemente do tamanho da empresa, uma coisa é certa em relação ao segmento de academias de luxo. Ele veio para ficar e para mudar a forma de se pensar em atividades físicas, hoje um verdadeiro lifestyle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário