quinta-feira, 10 de março de 2016

*Artigo: Um novo Centro para o Recife - Por *Eduardo Catão



O Centro do Recife é o ponto originário de nossa cidade, que foi criado e desenvolvido graças ao esforço e a capacidade empreendedora dos mascates e de outros atores, que estimulados pelos holandeses, foram fundamentais para o processo de construção do centro urbano da capital pernambucana. A expansão da cidade além dos seus limites iniciais formou o Recife atual, que foi ocupando novos espaços entres os rios e canais que cortam o município, fazendo com que aos poucos o seu nascedouro fosse sendo esquecido pelos governantes e a sociedade em geral.

O Centro do Recife, é uma área urbana formada pelos bairros de Santo Antônio, São José, Boa Vista e Recife Antigo. Apesar de toda pujança comercial que possui, o local vem sofrendo bastante nos últimos anos por conta da degradação urbana, pela falta de intervenções dos poderes públicos, por conflitos socioambientais, pelo mau trato dos cidadãos, que não se apropriam de sua cidade como deveriam, e atualmente, pelas consequências devastadoras do momento político e econômico que nosso país vive.

Assim como em todas as grandes metrópoles, o Centro é a base de nossa cidade, é nele que está concentrada a principal zona de comércio e é a partir dele que se estabelecem as principais relações da cadeia produtiva, gerando empregos e renda para milhares de pessoas. E, apesar de todas as dificuldades que a região vem enfrentando, continua sendo forte na sua vocação comercial, resistindo a todas as dificuldades, preservando a tradição que sempre caracterizou nossa cidade como um dos maiores polos de comércio e serviços do Brasil.

Porém, não podemos viver apenas da história do empreendedorismo, que caracteriza a cidade mascate, faz-se necessário que ações de valorização e revitalização do Centro sejam desenvolvidas com urgência, aproveitando os projetos educacionais, como o do Grupo Ser, os projetos  urbanísticos e imobiliários, como o Novo Recife e sua interligação com a Dantas Barreto e a revitalização da Rua do Imperador, que visam trazer uma nova configuração para o local. Reforçando ainda, que a área tem grande importância cultural, e forte apelo turístico, que o torna além de tudo uma excelente opção para moradia, desde que sejam oferecidas as mínimas condições estruturais para atrair as pessoas.

O Centro do Recife precisa ser olhado de forma diferenciada pela administração pública, por isso necessita, no nosso entendimento, de uma Diretoria na Prefeitura da Cidade do Recife, voltada exclusivamente para administrá-lo, cuidando de forma sistemática dos problemas que afetam a região, articulado com todas as Secretarias o desenvolvimento de ações estruturadoras, com políticas de prevenção, sem permitir que os problemas se avolumem, tornando mais onerosas as correções.

Cuidar da cidade não é apenas obrigação do poder público, mas este, enquanto  principal agente de mudanças e desenvolvimento, deve estar à frente, congregando as entidades e a sociedade civil para trabalhar em conjunto pela melhoria do Centro e do Recife como um todo.

*Eduardo Catão
 Presidente da CDL Recife

Nenhum comentário:

Postar um comentário