terça-feira, 1 de março de 2016

Caruaru e Serra Talhada será rota das Linhas Aéreas da Azul, após acordo firmado com Governo de Pernambuco

  • Azul Linha Aeres_Pernambuco_02Consolidando mais um importante investimento para a economia pernambucana, o governador Paulo Câmara assinou, na tarde desta terça-feira (16.02), no Palácio do Campo das Princesas, acordo para a implantação do novo centro de conexões da Azul Linhas Aéreas no Estado. O hub, que liga o Recife a todas as outras capitais do Nordeste, começa a operar no próximo dia 22, no Aeroporto Internacional dos Guararapes-Gilberto Freyre, na Zona Sul da cidade. A iniciativa representa um incremento anual de R$ 503 milhões na economia pernambucana, gerando emprego e renda para a população. Com o empreendimento, a Azul passará a atuar com 66 ligações diárias para 24 cidades – a oferta atual é de 46 voos por dia com destino a 12 bases.
    Durante a cerimônia, Paulo destacou que a ampliação da malha aérea pernambucana reforça a vocação de “hub natural do Nordeste” que o Estado apresenta devido às suas potencialidades. “O que fica muito claro é que temos a melhor localização geográfica para esse tipo de empreendimento, um aeroporto com uma área para expansão e que oferece bastante conforto para os passageiros. Oferecemos ainda uma mão de obra qualificada para o setor. Somado a isso, temos instituições que funcionam e honram as pactuações”, detalhou Paulo, resumindo: “Esse conjunto de fatores contribui para a chegada de novos investimentos”. Inicialmente, as novas rotas vão gerar 200 novos empregos. Esse número poderá dobrar com a perspectiva de ampliação do hub.
    O empreendimento, que potencializa a geração de emprego e renda no Nordeste,  representa uma injeção anual de R$ 503 milhões na economia do Estado. Fotos: Aluisio Moreira/Sei
    O empreendimento, que potencializa a geração de emprego e renda no Nordeste,
    representa uma injeção anual de R$ 503 milhões na economia do Estado.
    Fotos: Aluisio Moreira/Sei
    O governador pontuou que a ampliação da Azul também contribui para o processo de interiorização da malha aérea pernambucana. “As operações que já existem em Petrolina, no Sertão, serão ampliadas. Também vamos ter voos para Caruaru, no Agreste, e Serra Talhada, no Sertão. Isso vai impulsionar os negócios entre as regiões do Estado. Isso é Pernambuco se desenvolvendo por inteiro”, avaliou.
    A partir do hub da Azul, também há uma expectativa em relação ao aumento do número de passageiros, que deverá subir dos atuais 4.428 para 6.496 por dia. Além disso, a instalação do empreendimento favorecerá a redução do custo operacional. E desta forma, em um segundo momento, será possível repassar esses valores atualizados para o consumidor. A ampliação das conexões a partir do Nordeste é mais uma etapa da expansão da empresa no Brasil.
    “Esse novo centro representa oportunidade de voar mais para os nossos clientes e tripulantes. E para o Estado significa mais desenvolvimento. Eu queria reconhecer aqui o trabalho promovido pela equipe. Vocês nos passam a visão clara de que não se pode ficar parado diante de uma situação desafiante. E mais o importante: a confiança mútua depositada nessa operação. A relação entre a Azul e o Estado é pautada pela transparência”, registrou o presidente da companhia aérea, Antonoaldo Alves.
    Da estimativa do incremento anual de R$ 503 milhões na economia pernambucana, R$ 384 milhões são referentes ao aumento do número de passageiros. Já os demais R$ 119 milhões, serão arrecadados através dos gastos com o turismo. O que representa uma expansão esperada de 12,94% no PIB do segmento no Estado.
    O prefeito do Recife, Geraldo Julio, enalteceu o leque de chances que serão geradas a partir do empreendimento. O gestor pontuou ainda que as vantagens ultrapassam o conforto para os passageiros. “Também terá mais oportunidades para quem trabalha com transporte, em restaurantes e hotéis. Tem muita empresa que agora vai querer ter uma sede no Recife. Isso mexe bastante com a vida das pessoas. E esse é o nosso objetivo, sobretudo, em momentos difíceis”, afirmou Geraldo.
    Para o secretário estadual de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras, a parceria promovida com a Azul Linhas Aéreas consolida as potencialidades econômicas do Estado. “Em um momento de crise aérea no Brasil, nós formalizamos essa parceria com a Azul e damos boas notícias para todos. É de otimismo e empreendedorismo que o Brasil está precisando. E é isso que a gente vê aqui”, ressaltou. Felipe destacou ainda a solidez da empresa. “Fazer uma parceria com a Azul, que já é a terceira companhia aérea do País, é muito importante. Essa é uma empresa arrojada e que acredita no Brasil. Esse hub não é bom só para Pernambuco. É bom para o Brasil”, completou.
    Além das novas rotas, a Azul passará a ter dois voos diários do Recife para São Paulo, três para Natal e Belo Horizonte e quatro para Fortaleza. As novidades estreiam no dia 15 de março. A companhia ainda incluirá, a partir da próxima segunda-feira (22.02), o jato A330, de 272 assentos – maior aeronave de sua frota -, em uma ligação diária entre Campinas, em São Paulo, e Recife.
    A localização e a excelência do terminal aéreo do Recife foram diferenciais importantes para a decisão da empresa. Em 2015, o terminal do Recife foi eleito o melhor do País pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). A escolha foi feita pelos passageiros de voos domésticos e internacionais nos 15 aeroportos de maior movimentação no Brasil. O Aeroporto Internacional dos Guararapes recebeu 6,7 milhões de passageiros ano passado.
    Para o superintendente do Aeroporto do Recife, Alexandre Oliveira, o terminal está credenciado para receber novas operações. “Temos o melhor aeroporto que a Azul poderia escolher para a implantação do hub. Esse equipamento foi eleito o melhor do País por 65 mil passageiros. Com isso, a Infraero continuará sendo uma parceira incansável da Azul Linhas Aéreas. Estamos empenhados em ampliar ainda mais a nossa malha aeroviária”, salientou o executivo.
     
    NOVAS OPORTUNIDADES – A aviação comercial é a prioridade da Azul Linhas Aéreas, que além de investir em novas ligações no Brasil, também turbinou os seus equipamentos. Mas a instalação do centro de conexões abrirá oportunidades para impulsionar o transporte de cargas na região. Os negócios serão incrementados devido ao baixo custo operacional do hub. “A gente tem uma perspectiva grande do setor de cargas aqui. Nós dedicamos um Airbus 330 para fazer essa operação, mas esse é um processo que matura com o tempo”, explicou Antonoaldo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário