quinta-feira, 3 de março de 2016

Caruaru: vereadores aumentam seus salários em 66,6%

Legisladores de Caruaru decidiram por imensa maioria reajustar o valor de R$ 9 mil para R$ 15 mil

Em ano considerado de crise pelos gestores municipais, como já foi em 2015, e no qual obras e ações estão travadas sob alegação de falta de recursos, os vereadores de Caruaru parecem conviver em uma realidade bastante diferente. Na noite da última terça-feira, eles decidiram aprovar um aumento de 66,6% nos próprios salários. Na prática, isso representa um salto de R$ 9 mil para R$ 15 mil no rendimento mensal de cada um dos 23 legisladores. Essa nova remuneração equivale a 18 vezes o rendimento médio mensal de um assalariado pernambucano: R$ 822,00, conforme divulgou na semana passada o IBGE. O reajuste dos vereadores começa a valer a partir da próxima legislatura, em 2017, e, caso haja reeleição de alguns nomes, poderá agraciar, inclusive, políticos que chegaram a ser presos, sob acusação de receber propina para aprovação de projetos de lei, na Operação Ponto Final da Polícia Federal.
A proposta foi aprovada de maneira praticamente unânime. Dois vereadores faltaram à sessão e apenas um, Marcelo Gomes (PSB), votou contra. “Foi por questão de consciência. Acho que deveria ter sido melhor discutido”, Gomes, filho do vice-prefeito Jorge Gomes (PSB), um dos cotados para concorrer à prefeitura. Na hora da votação, eram poucos os que estavam no plenário, uma vez que o relógio marcava mais de 22h. 

A discussão entre os vereadores também foi rápida. Na ocasião, também foi aprovado o reajuste dos servidores, este, porém, mais modesto, de 9,47%. A Câmara de Caruaru tem apenas duas sessões semanais, sendo nas terças-feiras e quintas-feiras, sempre às 22h. Nos demais dias, não há obrigação dos vereadores estarem presentes na Casa.

A reportagem procurou o presidente Câmara, Leonardo Chaves (PSD), mas ele não atendeu as ligações. Por nota, alegou uma defasagem no salário dos legisladores caruaruenses, uma vez que o último aumento foi dado em 2009. “O reajuste foi calculado baseado na variação do IPCA entre 2009 - data da última correção - e 2016, acumulado em mais de 59%, e tendo como base constitucional o percentual de 60% sobre os subsídios percebidos pelos deputados estaduais, que hoje é de R$ 25 mil… O valor proposto, além de estar dentro dos limites constitucionais, corrige uma defasagem acumulada em sete anos”, disse.



Do Diario de Pernambuco – Julia Schiaffarino

Nenhum comentário:

Postar um comentário