quarta-feira, 23 de março de 2016

Cidade Saneada adota prática que economiza quase 100 mil litros de água por dia Na Região Metropolitana do Recife (RMR)



Falar em economia de água, hoje, vai além de discussões meramente econômicas ou sociais. É uma questão de sobrevivência. Em meio à crise hídrica pela qual passam inúmeros estados brasileiros, a adoção de práticas sustentáveis tem sido palavra de ordem nos quatro cantos da sociedade. No mundo corporativo, isso não é diferente.

Na Região Metropolitana do Recife (RMR), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) está utilizando o esgoto tratado para manutenção das redes do sistema de esgotamento sanitário. Chamado de água de reúso, o efluente é utilizado em ações de desobstrução e limpeza de tubulações, gerando uma economia de quase 100mil litros de água potável por dia, o que equivale ao consumo diário de cerca de 700  pessoas. A ação é feita dentro do Programa Cidade Saneada, em parceria com a Odebrecht Ambiental. 

“Atividades que antes aconteciam com água potável já estão sendo feitas com a reutilização do efluente tratado em nossas estações. Com isso, além de economizarmos água potável, é possível reduzir o volume de esgoto descartado e minimizar gastos com luz e água”, explica o diretor de Novos Negócios da Compesa, Ricardo Barretto.

reúso DENTRO2

Para que a água de reúso seja utilizada nessas atividades, caminhões de hidrojato e vácuo são abastecidos, diariamente, em duas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) do Programa: ETE Dancing Days, no Recife, e ETE Arena, em São Lourenço da Mata. Considerando que são utilizados, em média, 100 mil litros de água de reúso por dia, ao menos dez caminhões são abastecidos duas vezes por dia em cada estação. Em seguida, os equipamentos são deslocados até o local da atividade de limpeza ou desobstrução da rede de esgoto. 

No entanto, para transformar esgoto em água de reúso, é preciso mais que isso, como atenta o Diretor de Operações da Odebrecht Ambiental em Pernambuco, Rodrigo Dias. “Para que o efluente tratado seja utilizado nessas atividades, é preciso torná-lo sanitariamente seguro. Isso é feito por meio de etapas adicionais ao processo usual de tratamento a fim de promover a desinfecção do efluente”, detalha Rodrigo.

De forma geral, numa estação de tratamento, o efluente passa por processos que garantem a separação dos elementos sólidos (nas etapas de gradeamento e desarenação, por exemplo) e a purificação do líquido (com o tratamento biológico e a decantação), tendo cada estação suas especificidades na forma de tratamento (lagoas, tanques quimicamente tratados entre outros). Após esse processo, que dura cerca de nove horas, a água tem qualidade para ser lançada no corpo hídrico (rios, canais). Por fim, para que esteja pronta para a reutilização, a água recebe ainda a adição de cloro, promovendo a sua desinfecção.

reúso3DENTRO1

Já no primeiro semestre de 2016, mais uma Estação de Tratamento de Esgoto do Programa (ETE Peixinhos, em Olinda) estará apta a abastecer caminhões com água de reúso. A previsão é de que, incialmente, mais 10 equipamentos recebam o efluente tratado nessa estação. “A ideia é que se torne uma prática habitual o uso do efluente tratado para ações de manutenção nas redes de esgoto. 

Estimamos que, em 2016, uma quantidade ainda maior de água seja economizada já que, gradativamente, mais estações serão preparadas para trabalhar com a reutilização do esgoto tratado”, pontua Ricardo Barretto.

O Programa Cidade Saneada tem o objetivo de ampliar a coleta e o tratamento de esgoto por meio da manutenção, operação, ampliação e implantação dos sistemas de esgotamento sanitário dos municípios da Região Metropolitana do Recife e de Goiana, na Mata Norte. Nos primeiros dois anos de operação, o programa recuperou 1.200 quilômetros de redes de esgotos, além das estações elevatórias e de tratamento já existentes. 


Melhorias significativas também envolvem o atendimento à população que, em algumas regiões, obteve uma queda de 70% no número de reclamações. Além disso, 100% dos atendimentos passaram a ser realizados em até 48 horas, sendo que 75% deles resolvidos nas primeiras 24 horas após o chamado inicial.

Caminhões 

Os equipamentos de vácuo e hidrojato, chamados de Combinados, associam duas funções essenciais para a limpeza de redes de esg

Nenhum comentário:

Postar um comentário