segunda-feira, 7 de março de 2016

Entra em cartaz a Inquieta, uma distribuidora para o cinema pernambucano

Empresa lança seu primeiro longa na próxima quinta-feira (10/3)

Mariana Jacob / Alexandre Gondim/JC Imagem

Mariana Jacob

Alexandre Gondim/JC Imagem

Ernesto Barros

A produção audiovisual pernambucana é uma das maiores do Brasil e de comprovada excelência ao colecionar prêmios em festivais de cinema nacionais e internacionais, mas o círculo de sua cadeia produtiva ainda não está fechado. Embora os filmes premiados tenham exibição garantida na tela grande e nas TVs, o gargalo da dobradinha distribuição-exibição ainda emperra o escoamento de grande parte do que é feito no Estado.

Enfrentar parte desse problema tem sido o desafio de Mariana Jacob, uma carioca de alma pernambucana, que desde 2013 vem abrindo caminhos para que mais filmes locais ganhem uma distribuição eficiente e que também se respeite as características independentes de sua produção. Até agora, os longas produzidos em Pernambuco só são lançados por distribuidoras do eixo Rio-São Paulo ou por ações isoladas dos realizadores.


Nesta quinta-feira (10/3), a situação ganha um novo capítulo: entra em cena a Inquieta, a empresa criada por Mariana – ao lado da sócia Fernanda Cordel, uma amiga de infância – que lança no circuito alternativo o documentário O Gigantesco Ímã, de Petrônio e Thiago Scorza. “O filme será lançado em 11 salas do Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e outra capitais, além de Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, no Sertão do Estado, onde foi filmado e nasceram um dos diretores e o personagem principal”, adianta Mariana.

Iniciar os trabalhos de distribuição com O Gigantesco Ímã traz uma energia positiva à Inquieta. O motivo é bem simples: Evangelista Ignácio de Oliveira, o personagem do filme, um ex-relojoeiro de Serra Talhada, é um daqueles personagens “tipo inesquecível”. Os espectadores ficam maravilhados com suas invenções mirabolantes – armas de fogo, ultraleves e até uma máquina de filmar e passar películas em 35mm. O longa ganhou o prêmio de Melhor Filme no último Festival de Triunfo.

A inquieta Mariana já tem engatilhada a distribuição de mais dois longas-metragens: a ficção Todas as Cores da Noite, de Pedro Severien, que vem fazendo boa carreira nos festivais, e Ramo, de João Lucas, Hugo Coutinho, Rafael Amorim e Pedro Andrade, ainda em processo de inscrição e participação em festivais.

JC Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário