quinta-feira, 24 de março de 2016

Esperança para a Avenida Conde da Boa Vista

Jogando a toalha: embora esteja fazendo uma pesquisa de destino e origem para "arrumar" a Conde da Boa Vista, governo decidiu tapumar estações provisórias que tinham virado reduto de vândalos. Fotos: Ricardo Labastier/JC Imagem

Jogou a toalha? Embora esteja fazendo uma pesquisa de destino e origem para “arrumar” a Conde da Boa Vista, governo decidiu tapumar estações provisórias que tinham virado reduto de vândalos. Fotos: Ricardo Labastier/JC Imagem

Uma esperança para a Avenida Conde da Boa Vista, um dos mais importantes corredores de transporte do sistema metropolitano. Assim está sendo vista uma pesquisa iniciada na semana passada pelo governo de Pernambuco para embasar a acomodação do BRT (Bus Rapid Transit) na via. O estudo pretende traçar novos planos para o corredor, que há pelo menos seis anos está esquecido, abandonado e degradado. Uma avenida que, embora seja o principal desejo de destino de quase todos que se dirigem ao Centro do Recife, virou um patinho feio, sujo e maltratado, quando a promessa dos gestores públicos era de que seria transformada num belo cisne.
Já erramos muito com a Conde da Boa Vista. Não podemos errar novamente”,
Maurício Pina, coordenador da pesquisa

A pesquisa está sendo coordenada pela Secretaria Estadual das Cidades, tendo à frente o engenheiro e especialista em transporte Maurício Pina. A meta é acompanhar a demanda de passageiros de 53 das 76 linhas de ônibus que trafegam pela Avenida Conde da Boa Vista diariamente. A quantidade representa, em média, 14% das linhas em operação em todo o Sistema de Transporte Público de Passageiros (STPP) – atualmente com 394 linhas. “Nós queremos dar um destino à Avenida Conde da Boa Vista. Ela não pode continuar do jeito que está. É o grande corredor de transporte da cidade. Muito já se pensou para a via. Cogitaram tirar todas as linhas de ônibus e deixar apenas o BRT, depois pensaram em fazer o BRT retornar do Derby. Mas agora vamos encontrar uma solução definitiva e, principalmente, embasada em estudos de demanda”, explica Maurício Pina.

A previsão é de que a pesquisa seja concluída uma semana depois do feriado da Semana Santa. Das 300 viagens que serão monitoradas pelos pesquisadores, 155 já foram pesquisadas. Funcionários do Grande Recife Consórcio de Transportes e do Detran-PE estão circulando diariamente nas 53 linhas escolhidas para ver o destino dos passageiros. “Nós dividimos a Conde da Boa Vista em trechos e os passageiros entregam aos pesquisadores, que ficam nos coletivos, um cartão dado no início da viagem que indica o trecho que ele tem como destino. Assim, saberemos para onde as pessoas querem ir. Insisti muito com o governo para que o estudo fosse feito antes de qualquer decisão. Já erramos muito com a Conde da Boa Vista. Não podemos errar novamente”, diz Maurício Pina.
A acomodação dos BRTs é o principal objetivo da pesquisa de detsino e origem feita em linhas da Conde da Boa Vista
A acomodação dos BRTs é o principal objetivo da pesquisa de origem e destino feita em linhas da Conde da Boa Vista

O objetivo da pesquisa é encontrar uma acomodação para o BRT na avenida. E, para isso, os técnicos sabem que será necessário reduzir o número de ônibus em circulação no corredor porque muitas das linhas são sobrepostas, ou seja, fazem o mesmo trajeto e têm o mesmo destino. Inicialmente, o projeto do Corredor Leste-Oeste previa seis estações de BRT na Conde da Boa Vista (três no sentido subúrbio-Centro e três na direção oposta). Estações provisórias começaram a ser construídas na avenida no fim de 2013, mas as obras nunca foram finalizadas e há mais de um ano estão paralisadas – assim como toda a construção do Leste-Oeste, devido ao envolvimento da Construtora Mendes Júnior da Operação Lava Jato.
Estações viraram um lixão antes de serem isoladas
Estações viraram um lixão antes de serem isoladas. Até vaso sanitário foi encontrado nelas

Além de inadequadas para o sistema BRT porque não atendem aos pré-requisitos necessários do sistema, as estações provisórias ficaram tanto tempo abandonadas que viraram reduto de vândalos, com direito à moradia de desabrigados, uso como banheiro público e ponto para consumo de drogas. A situação ficou tão fora de controle que há menos de um mês o governo do Estado decidiu isolar todas as seis estações com tapumes, até que a solução para a via seja definida.

Conde_Borba1

JC Trânsito

Um comentário:

  1. Sera que tem solucao? Com o povo que temos. As calcadas estao terriveis.

    ResponderExcluir