segunda-feira, 28 de março de 2016

Negócios de impacto social ganham mercado em Pernambuco

Programa de aceleração para empresas do segmento está com inscrições abertas

Diego Garcez diz que o País está evoluindo no segmento / Fernando da Hora/JC Imagem

Diego Garcez diz que o País está evoluindo no segmento

Fernando da Hora/JC Imagem

Ajudar crianças no aprendizado escolar, melhorar a comunicação de pessoas com deficiência ou prover atendimento de ortodontia de qualidade para a população de baixa renda. São ações que anos atrás poderiam ser ligadas somente a organizações não governamentais, mas que hoje podem se tornar realidade com um negócio de impacto social, no qual os empreendedores têm lucro e, ao mesmo tempo, conseguem mudar a vida das pessoas. Em Pernambuco, Joy Street, Livox e MultiOrto estão nesse caminho. Em comum, elas têm a passagem pelo programa de aceleração da Artemísia, que recebe inscrições de novos projetos até o dia 8 de abril.

Sócio-diretor da Joy Street, Diego Garcez avalia que o segmento de negócios de impacto social foi muito fortalecido nos últimos cinco anos, período em que surgiram mais empresas, aceleradoras, eventos e outros espaços que fomentam esse nicho. “Tem havido uma organização e transformação e uma evolução impressionante no Brasil”, comenta Garcez. Com 50 colaboradores, a Joy Street foca em ferramentas inovadoras de aprendizagem, especialmente através da gamificação (uso de técnicas e design de jogos) e viu seu faturamento aumentar 44% no ano passado. “Tudo o que fazemos causa um impacto muito grande, principalmente em escolas públicas, onde isso se torna ainda mais relevante”, comenta Garcez, ao falar de resultados como melhoria das notas e do engajamento dos alunos nas disciplinas.


A julgar pelos números da Artemísia, organização sem fim lucrativos que capacita empreendedores na área, esse mercado avança rapidamente. Em 2011, quando o programa de aceleração foi criado, menos de 200 negócios concorreram às vagas. De 2013 até o ano passado, essa média subiu para 500, por semestre. A cada ano, cerca de 20 projetos entram na capacitação, que, além de prover networking, envolve módulos como investimento, marketing e vendas.

As inscrições deste ano podem ser feitas pelo site www.artemisia.org.br. As empresas podem ser de quaisquer setores, inclusive em outras áreas não diretamente ligadas à tecnologia, como faz a MultiOrto, que oferece serviços especializados em ortodontia com atendimento rápido e de baixo custo. Criada em 2004, a empresa já tem 18 clínicas em Pernambuco. O coordenador de Busca e Seleção da Artemísia, lembra que o slogan da organização resume o benefício de negócios como esses para empreendedores e população: “Entre ganhar dinheiro e mudar o mundo fique com os dois”.


DESAFIOS -Porém, para Carlos Pereira, criador do Livox, os negócios de impacto social em áreas tradicionalmente ligadas à assistência social ainda têm mais desafios pela frente. Sua filha Clara tem paralisia cerebral e foi para ela que Carlos criou um sistema de comunicação especial. Os bons resultados fizeram a ferramenta se espalhar pelo mundo e ser premiada. “A mentalidade de que seria errado ganhar com algo que faz tão bem às pessoas está mudando, mas aos poucos. Ainda recebo emails dizendo que eu deveria fazer isso de graça. Eu respondo perguntando se a pessoa trabalharia gratuitamente para o Livox para que isso acontecesse; a resposta deles é não”, conta Carlos.

JC Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário