terça-feira, 1 de março de 2016

Parque Capibaribe: obras saem em junho

Prazo depende da conclusão do processo licitatório junto ao Governo Federal. Projeto custará R$ 54 mi

O Parque Capibaribe, - projeto que prevê ações de transformação do Recife em cidade-parque até o ano de 2037, quando a capital completará 500 anos - tem a sua primeira etapa definida e com estimativa de início de obras para junho deste ano. A informação foi repassada à Folha pela diretora de Planejamento e Projetos da Empresa de Urbanização do Recife (URB), Conceição Lafaiete, ontem, durante reunião para a apresentação das diretrizes do projeto aos moradores do bairro das Graças.

Segunda a diretora, para que isso ocorra é necessário a conclusão do processo licitatório junto ao Governo Federal. O orçamento previsto é de R$ 54 milhões, sendo R$ 22 milhões apenas para a execução da primeira etapa. Hoje, diretores da URB se reúnem em Brasília com representantes do Ministério das Cidades, para buscar a aprovação da alteração do projeto, que até o ano passado previa a implantação de quatro faixas de rolamento para veículos que compreendia o trecho do Parque Santana até a ponte da Torre.

No entanto, por desaprovação e resistência dos moradores das Graças, o plano foi alterado para a construção de apenas uma via compartilhada (carro, bicicleta e pedestre) com equipamentos de lazer e espaços de aproximação da população com o rio Capibaribe. O bairro terá um parque e uma via que será de velocidade reduzida para veículos em 30 Km/h, compreendendo o trecho de sentido único da ponte da Capunga, na Madalena, até o elevado da Torre.

“O projeto está de acordo com o que defendíamos. Não tinha lógica quatro faixas de rolamento apenas para dar mobilidade no bairro. Coisa que nem sabíamos se iria dar certo”, destacou a presidente da Associação Por Amor às Graças, Lúcia Moura. Segundo a diretora do Instituto de Pesquisa e Inovação para as Cidades, Cerci Monteiro, o projeto prevê melhorias na mobilidade dos moradores daquele bairro. 

“Projetamos uma obra que permitirá a saída de veículos das Graças pela rua Amélia, assim, desafogando o fluxo na avenida Rui Barbosa”, comentou. Sobre a reunião de diretores da URB com o Ministério das Cidades, a secretária de Sustentabilidade e Meio Ambiente, Cida Pedrosa, adiantou que o encontro será para conseguir a aprovação da pasta na liberação dos outros R$ 32 milhões restantes do pacote.

Wilson Maranhão, da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário