quinta-feira, 24 de março de 2016

Pernambucana Carbo Gás produzirá gelo seco

Cortesia
Companhia será a primeira a produzir no Estado

Responsável pela gaseificação, ou seja, a adição de dióxido de carbono em 80% dos refrigerantes, águas e outras bebidas gasosas que circulam no Estado, a empresa pernambucana Carbo Gás aposta agora na produção de gelo seco para diversificar sua atuação. O material tem aplicação tanto na conservação de alimentos, em efeitos especiais em shows e eventos, quanto na limpeza de maquinários e peças para indústria, por meio de jateamento. 

A produção será feita em uma nova unidade, no Cabo de Santo Agostinho, onde a empresa possui a uma esfera armazenamento de dióxido de carbono, também conhecido como gás carbônico, com capacidade para 1,5 mil toneladas.


A Carbo Gás será a primeira companhia a produzir gelo seco no Estado. “Antes era preciso trazer de Salvador ou de São Paulo”, explicou o engenheiro de aplicação da empresa, Paulo Muniz. A linha de fabricação, que reuniu investimentos de aproximadamente R$ 1 milhão para uma produção de 120 quilos por hora, tem como foco principal a demanda de grandes indústrias instaladas nos polos produtivos do Estado, nos últimos anos, a exemplo da Jeep. A Refinaria Abreu e Lima e a Termopernambuco também são clientes em potencial.

O método substituiu a limpeza do maquinário com solventes. Embora os custos sejam superiores, há uma economia de, pelo menos, 70% de tempo gasto na limpeza. “Uma limpeza que levaria 15 dias pode ser feita em quatro dias. Além disso, o gelo seco não danifica a peça, não prejudica o ambiente e nem expõe os funcionários a produtos tóxicos, como os solventes”, destacou Muniz.

Além de atender empresas de Pernambuco, a Carbo Gás pretende fornecer para Alagoas e Rio Grande do Norte. O gelo seco também pode ser usado na conservação de alimentos, e pode ser, inclusive, utilizado por pequenos comerciantes, como vendedores ambulantes de picolé, por exemplo. O produto também é empregado atualmente no espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, para montagem da cena da ressurreição.

Da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário