sexta-feira, 11 de março de 2016

Polícia Civil prende suspeito de envolvimento em furto de carros do pátio da Fiat em Goiana/PE

Esquema aconteceria com ajuda de funcionário da empresa

Veículos foram encontrados com comerciante / Foto: Divulgação / Polícia Civil

Veículos foram encontrados com comerciante

Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Polícia Civil desarmou um esquema de furto de carros da montadora Fiat, em Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, nesta semana. Três veículos modelo Renegade sem documentos foram encontrados com o comerciante Rodrigo Siqueira de Lima, de 33 anos. O suspeito de atuar como receptador foi preso na Campina do Barreto, na Zona Norte do Recife. Um funcionário que ocupava cargo de chefia seria o responsável pela retirada dos carros da fábrica.


O esquema, segundo a polícia, funcionava a partir de um ex-chefe de produção que retirava os carros da montadora e repassava para dois intermediários e um receptador. Esse seria responsável por encontrar compradores. 

"O ex-funcionário possuía um cargo de chefia. Ele tinha livre acesso à fábrica e usava essa confiança para retirar os carros sem que as pessoas percebessem", explica o delegado Diego Aciole, destacando que não se tem informações de que algum carro furtado tenha sido adquirido por um comprador.

Ainda segundo a polícia, Rodrigo Siqueira procurou o Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) para tentar registrar um carro que não possuía documentação no Departamento Estadual de Trânsito (Detran). 

"Ele levantou suspeita e, quando questionamos a Fiat sobre o veículo, ela identificou que havia sido furtado do pátio da montadora", conta o delegado. Na padaria que pertence ao suspeito, outros dois Renegade foram encontrados. "Um dos carros estava com uma placa falsa, inclusive", diz.

O funcionário foi identificado como Denis Ferreira Lima, 25 anos. José Antônio da Silva Filho, 29 anos, atuaria como intermediário. Os dois foram ouvidos, mas liberados por não ter flagrante. 

Em depoimento, Rodrigo Siqueira, que diz ser dono de apenas um dos três veículos, afirmou que comprou o carro por R$ 40 mil e defendeu que o valor foi abaixo do mercado pois o veículo apresenta defeitos de fabricação. 

Ele foi autuado por receptação, adulteração de veículo e associação criminosa. Em seguida, o suspeito foi encaminhado para o Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, onde fica à disposição da Justiça. 


A Fiat suspeita que pelo menos outros sete veículos tenham sido furtados do pátio. 
Os delegados explicam que quem tiver adquirido carros com valor suspeito pode estar cometendo crime de receptação e deve procurar o Depatri, em Afogados, Zona Oeste do Recife, para verificar a situação dos registros do veículo.

Do JC Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário