terça-feira, 5 de abril de 2016

Argentina é um manancial para o turismo de Pernambuco; saiba o porquê

bue

Buenos Aires – Os secretários de Turismo de Pernambuco e do Recife, respectivamente Felipe Carreras e Camilo Simões, mais a presidente da Empetur, Ana Paula Vilaça, vieram a Buenos Aires no voo 7666, da Gol, sábado (2). Com eles também o presidente do Recife Convention Bureau, Bruno Herbert, e hoteleiros – a maioria de Porto de Galinhas, destino já consolidado entre os portenhos. Nesta segunda (4), todo esse trade se reuniu com agentes de turismo, no Pestana Buenos Aires, para divulgar os potenciais turísticos, com atenção especial para o Recife.

A estratégia é formar pacotes de viagens casados, do tipo Porto de Galinhas – Recife, que ressuscitem o turismo de lazer na capital pernambucana. Em contrapartida, os hotéis recifenses teriam de se readaptar: oferecer quartos pra família, meia-pensão, all inclusive… como fazem os do Litoral e como dita o perfil dos turistas argentinos. Eles são um manancial: em 2015, a Polícia Federal registrou a entrada de mais de 33 mil no Estado. Injetaram cerca de R$ 91 milhões.

Só em janeiro e fevereiro deste ano, mais de dois mil argentinos desembarcaram no Recife de voos internacionais, quando em todo 2014 foram 1.705, segundo dados da PF. A expectativa é de que esse número cresça bastante, uma vez que a Gol (Boeing 737-800, capacidade para 177 pessoas) ainda não operava – apenas a TAM (Airbus A320, para 174), na rota desde janeiro de 2015.

Os surgimentos desses voos que ligam o Recife a BsAs foram impulsionados por um boom em 2013, quando houve salto de 800 mil para 1,600 milhão de argentinos viajando em busca de sol e mar. À época, as praias de Florianópolis, que está a pouco mais de uma hora de Buenos Aires, e as do Caribe eram os destinos mais procurados. Até descobrirem Porto de Galinhas.

Na inauguração da rota Ezeiza – Recife pela Gol, na Páscoa, pesquisa da Empetur diagnosticou dado animador para o setor: 83% dos argentinos chegavam a Pernambuco pela primeira vez. A Empresa de Turismo de PE, nesta vinda ao país vizinho, esteve com a gerente de Relações Institucionais da Aerolíneas, Felicitas Castrillon, para viabilizar, quem sabe, voos ou conexões.

O gerente comercial Aguinaldo Gonçalves Junior, da Trip Group, que equivale à CVC no Brasil, explica que, culturalmente, os argentinos gostam de viajar em família e para fora do país. E mais: devido à alta inflação e à instabilidade da moeda, que dificultam a compra de imóveis e carros, por exemplo, muitos argentinos decidem gastar em viagem o dinheiro que poupam. Há outros dois motivos que impulsionam: o primeiro são as férias daqui, que começam na segunda quinzena de dezembro e seguem até o final de fevereiro; e o segundo é o costume de guardar dólares, devido aos embaraços no peso argentino, para assim ficarem assegurados. E quando viajam, encantados.

Social1 - JC
por Romero Rafael 
*Repórter viajou a convite da Secretaria de Turismo de Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário