sábado, 2 de abril de 2016

Cais do Imperador, no Recife, terá teto verde e café-bar

A obra de construção da Estação Ecoturística Cais do Imperador, às margens do Rio Capibaribe, está quase pronta

Cais do Imperador, no Centro do Recife, resgata um ancoradouro do século 19 / Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Cais do Imperador, no Centro do Recife, resgata um ancoradouro do século 19

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

A Estação Ecoturística Cais do Imperador, em construção às margens do Rio Capibaribe, no Centro do Recife, será interligada à Praça Dezessete por um piso elevado na Avenida Martins de Barros. Pelo menos é essa a proposta da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, que pretende, assim, resgatar aquele trecho do bairro de Santo Antônio como um só espaço de convivência.

Instalada numa área de cem metros quadrados, que se projeta sobre o rio, a estação está quase pronta. Terá anfiteatro para eventos ao ar livre, escadaria para o público sentar e contemplar a paisagem, postos de informações turísticas e para distribuição de material educativo, além de um café-bar coberto com vegetação de mata ciliar, criando um teto verde.


“É uma experiência nova, estamos escolhendo uma planta nativa de beira de rio, para adaptação ao ambiente”, afirma Cida Pedrosa, secretária de Meio Ambiente da cidade, em vistoria ao local, na manhã de sexta-feira (1º de abril). O café-bar, operado pela iniciativa privada, será o responsável pela manutenção completa da estação, incluindo segurança.
A licitação para escolha do empreendedor (chamamento público) foi publicada quinta-feira (31) e os interessados em concorrer têm dez dias para apresentar as propostas. O café-bar, inicialmente, abrirá à tarde e à noite. O local, avisa Cida Pedrosa, vai contar com um píer, para atracação do barco-escola da prefeitura.

Romero Pereira, secretário-executivo de Unidades Protegidas do Recife, acrescenta que a estação ocupa um antigo cais, reformado em 1859 para a visita do imperador Pedro II a Pernambuco. “Estamos fazendo pesquisa para montar uma exposição permanente e contar essa história aos visitantes”, declara.

A expectativa da secretaria, diz Romero, é de que a Estação Ecoturística seja o começo do resgate de Santo Antônio para moradores e visitantes, a exemplo do Bairro do Recife. A obra custa R$ 850 mil e é financiada pela Faculdade Boa Viagem e Moura Dubeux Engenharia, com recursos de compensação ambiental.


A data de inauguração não está definida, mas será ainda no primeiro semestre de 2016.

JC Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário