quinta-feira, 14 de abril de 2016

Casa do Estudante de Pernambuco lança campanha para melhorar acervo da biblioteca

Entidade, que funciona no Derby, área central do Recife, quer comprar livros e computadores

Biblioteca tem cerca de 3 mil livros, mas acervo necessita ser atualizado. / Foto: Fernando da Hora /  JC Imagem

Biblioteca tem cerca de 3 mil livros, mas acervo necessita ser atualizado.

Foto: Fernando da Hora / JC Imagem

Com a diminuição dos recursos repassados pelo governo estadual, a Casa do Estudante de Pernambuco (CEP), localizada no Derby, área central do Recife, inicia hoje uma campanha para arrecadar dinheiro para comprar novos livros para biblioteca. O acervo está desatualizado, sobretudo para atender estudantes de cursos de direito, medicina e engenharia, que são maioria na residência. A entidade quer também adquirir quatro computadores. Atualmente só há um equipamento para uso dos 278 sócios, todos oriundos de famílias de baixa renda do interior.

“A Gente faz o Futuro” é o mote da campanha, que conta com um vídeo onde aparecem ex-moradores da casa pedindo doações. “Houve um corte de cerca de R$ 500 mil em relação ao orçamento anterior. Vamos receber R$ 2,1 milhões da Secretaria Estadual de Educação. Esse valor só cobre as despesas com alimentação e funcionários”, explica o presidente da CEP, Mário Rocha, aluno de direito e oriundo de Bodocó, no Sertão.



Além do recurso estadual, a CEP conta com uma mensalidade de R$ 45 paga pelos 150 estudantes residentes e 128 que não moram na casa mas fazem lá as três refeições diárias (cerca de R$ 12 mil por mês). É com esse dinheiro que são pagas as contas de energia e água. O Grande Recife Consórcio de Transporte envia R$ 400 mil referente ao arrecadado com as carteiras de estudantes, o que contribui para bancar as demais despesas de manutenção.

“Dá para sobreviver, mas com lacunas”, ressalta Mário. Uma das medidas para economizar foi a redução do horário de funcionamento do ar condicionado da sala de estudo. O espaço continua aberto 24h e pode ser usado pelo público em geral. Mas os aparelhos só ficam ligados das 9h a 0h. Chuveiros receberam dispositivo para diminuir a vazão da água. Os ramais telefônicos que faziam a comunicação entre os 40 quartos foram retirados.




Romário Rodrigues, 21 anos, reside na CEP há quatro anos, quando mudou-se de Mirandiba (Sertão), para cursar medicina na UPE. “Um livro do meu curso custa em média R$ 400, R$ 500. É muito caro. Por isso é importante contar com novos livros na biblioteca da CEP”, diz Romário. Yverson Isael, 24, aluno de engenharia mecânica, destaca a necessidade de sempre ter renovação do acervo para atender as constantes atualizações dos livros.

Um sonho da direção da CEP é implantar uma casa do estudante feminina. Um imóvel situado na Rua Amauri de Medeiros, também no Derby, foi doado pela União em 2013 com essa finalidade. Mas falta verba. Cerca de R$ 450 mil é o valor estimado para reformá-lo e equipá-lo, a fim de abrigar 50 mulheres. “Eu e minha irmã pagamos R$ 1 mil por mês para morar em um pensionato. Sai caro para meus pais, um agricultor e uma professora. Seria maravilhoso se tivéssemos uma casa feminina”, diz Meryanne Rabelo, 21, estudante de direito e natural de Triunfo, no Sertão.

Quem quiser participar da campanha deve depositar qualquer valor no Banco Itaú, agência 3175, conta corrente 32.994-0. Doações de livros universitários com até dois anos de publicados também são bem-vindas.


JC Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário