sexta-feira, 22 de abril de 2016

Concorrência do Uber e aplicativos muda mercado

Pernambucana Teletáxi viu sua demanda cair de cinco mil corridas por dia para três mil corridas/dia

Mariama Correia



Bruno Campos/Arquivo Folha
Com parceria da Setur, empreitada também irá se estender a outras empresas de rádio

A concorrência voraz dos aplicativos de táxis como o 99 táxi e o EasyTáxi, que se popularizaram rapidamente, e de plataformas de carona como o Uber, cuja chegada ainda causa alvoroço no mercado de transporte brasileiro, tirou as empresas de radio táxi da zona de conforto.


Antes líder do segmento, a pernambucana Teletáxi viu sua demanda cair de cinco mil corridas por dia para três mil corridas/dia em dois anos. Para recuperar o mercado, ela resolveu aproximar-se do modelo das concorrentes. Vai passar a oferecer wi-fi, água, bombons e carregador de celular nos carros, assim como os veículos Uber. Inicialmente, 150 motoristas estão treinados para atender no modelo Teletáxi Prime, que não terá custos adicionais para os clientes.

Os veículos também receberam tablets da Secretaria de Turismo do Estado (Setur), cedidos em modelo de comodato, um tipo de empréstimo. Os aparelhos trazem informações turísticas do Estado e acesso à internet. A parceria nasceu do interesse da própria Associação das Empresas de Rádio Táxi, que procurou a Setur em busca de parcerias para reverter a queda do desempenho pela concorrência com os aplicativos.

“Nesse primeiro momento, estamos lançando um piloto com a Teletáxi. A intenção é distribuir cerca de 1 mil tablets entre os motoristas das empresas de rádio táxi, nos próximos meses”, explicou a presidente da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Ana Paula Vilaça.

Nos próximos seis meses, a Teletáxi pretende estender o modelo ‘prime’ a toda a sua frota, formada atualmente por 550 taxistas. “É nossa resposta às demandas do mercado. Essa primeira turma é formada por taxistas mais elogiados e por veículos com até três anos de uso, mas queremos treinar todos os motoristas nesse atendimento mais refinado”, detalhou a diretora da Teletáxi, Juliana Cavalcanti.

Taxista da empresa, Marcelo dos Santos gostou da novidade. Ele contou que realmente sentiu a demanda cair nos últimos anos. “Diminuiu muito pessoa física, porém as empresas continuam usando”, comentou.

A perspectiva da Teletáxi é conseguir um aumento de 30% no faturamento com o lançamento do novo serviço, que poderá ser solicitado tanto pelo aplicativo da Teletáxi, quanto pelo atendimento telefônico. Sobre a perda de espaço para os apps,

Juliana admite que os aplicativos conseguem ser mais baratos e mais rápidos no atendimento, por terem uma frota maior. “Temos outros diferenciais, como uma equipe treinada e a segurança oferecida aos clientes”, argumentou. O presidente do Sindicato dos Taxistas, Everaldo Menezes, comemorou a notícia do aperfeiçoamento do serviço de táxi. “Somos a favor da iniciativa, só somos contra o uso de carros particulares no serviço de táxi”, disse, referindo-se ao Uber.

O tempo de resposta para uma solicitação do Teletáxi Prime será o mesmo das chamadas comuns. Dependerá do prazo de espera do horário, que atualmente pode oscilar de cinco a 15 minutos. A diretora da empresa argumenta, entretanto, que esse período já foi reduzido nos últimos meses. Antes, o cliente chegava a esperar até 25 minutos, em média, por um táxi.

Folha PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário