segunda-feira, 4 de abril de 2016

Energia solar para reduzir custos altos em Pernambuco

No estado, hospitais e até cemitérios estão instalando placas fotovoltaicas, com 
recurso do FNE Verde. 


A energia solar chega aos hospitais e cemitérios. Em Arcoverde, o Hospital Memorial será o pioneiro no Nordeste a instalar um sistema de produção de energia fotovoltaica com a capacidade de geração de 130 quilowatts/hora.  

Na área metropolitana do Recife, o cemitério e crematório Memorial dos Guararapes, localizado em Jaboatão dos Guararapes, deverá iniciar em abril a geração solar para consumo próprio, com a capacidade de 15,3 quilowatts/hora. Os dois projetos de implantação de microgeração de energia solar contam recursos do FNE Verde, linha de crédito do Banco do Nordeste, cuja verba destinada neste ano para projetos sustentáveis e de energia renovável soma R$ 335 milhões.

A crise energética e o alto custo da energia elétrica são os principais fatores que estimulam os empresários buscam fontes alternativas de energia à geração hidrelétrica. A “pegada” ambiental é outro argumento forte para instalar os sistemas de geração fotovoltaica a partir da luz solar. No cemitério Memorial Guararapes, por exemplo, a despesa média mensal é de R$ 8 mil com a conta de energia elétrica. A expectativa é reduzir até 70% o consumo com a entrada da geração solar de 60 placas fotovoltaicas.
O diretor do cemitério, Eitor Laurentzy, diz que o investimento de cerca de R$ 100 mil para a instalação do sistema fotovoltaico deverá ter o retorno entre 8 e 10 anos. ” A geração solar se tornou uma opção viável e ecologicamente correta. A expectativa é gerar um quarto do consumo total de energia de 60 quilowatts/hora por mês. A ideia é gerar energia durante o dia e colocar o excedente na rede da Celpe.” A energia solar será utilizada em algumas áreas do cemitério e do crematório. O projeto está em fase de implantação e aguarda a vistoria da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para iniciar a geração, prevista para abril.
O projeto do Hospital Memorial em Arcoverde é mais ambicioso. O diretor da unidade hospitalar, Joaquim José de Lucena, conta que a ideia é gerar toda a energia demandada pelo hospital para se tornar autossuficiente. Com uma despesa mensal de R$ 8 mil com energia elétrica, o grupo quer reduzir até 100% da conta com a geração solar.
O sistema prevê a instalação de 500 placas fotovoltaicas nos telhados do hospital. “Nós vamos aproveitar o potencial de radiação da região para gerar energia solar de dia e o excedente colocar no sistema da Celpe para fazer a compensação”. Atualmente, o hospital utiliza a energia solar para fazer o aquecimento de água. “Queremos instalar um sistema de geração solar que seja modelo no Sertão, e possa ser aplicado o potencial de radiação solar da região”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário