sábado, 16 de abril de 2016

Galeria Janete Costa, no Parque Dona Lindu, recebe exposição de arquitetura modernista

img_alt

A mostra contempla amplas maquetes, fotos e vídeos e integra as comemorações do centenário do arquiteto modernista baiano, nascido em 1914 e falecido em 1994. (Foto: Divulgação)

A Galeria Janete Costa, no Parque Dona Lindu, recebe de 16 a 24 deste mês a exposição "Diógenes Rebouças: cidade, arquitetura e patrimônio". A exposição é a primeira, após quase cinco anos, dedicada à arquitetura moderna que acontece no espaço projetado em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, pelo modernista Oscar Niemeyer, ícone do estilo - no ano da inauguração, em 2011, o parque, equipamento cultural gerenciado pela Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura da Cidade do Recife, sediou mostra de desenhos do carioca.

Contemporâneo de Niemeyer, Diógenes Rebouças foi um dos um dos principais arquitetos modernos do País e costumava consultar o carioca em seus projetos mais importantes. Entre as inúmeras obras do baiano, estão a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia e o Complexo Esportivo da Fonte Nova, ambos em Salvador, e o Hotel de Paulo Afonso, no interior baiano. "Diógenes Rebouças certamente ficaria muito feliz com a montagem de exposição em espaço projetado por Niemeyer", afirma o curador da exposição, Nivaldo Andrade, arquiteto e professor da Faculdade de Arquitetura e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

As 16 maquetes são o grande destaque da mostra, representando os principais projetos do arquiteto, de residências à Penitenciária do Estado. Estarão também expostos reproduções de desenhos originais, fotos e vídeos, além de uma linha do tempo de quase 20 metros. Na noite da abertura, o sábado dia 16, a exposição funcionará das 17h às 20h. Nos demais dias - 17 a 24 deste mês -, o horário será ampliado, começando às 12h. A entrada é gratuita.

Recife é a segunda parada da exposição - durante um mês, ano passado, ficou no foyer do Teatro Castro Alves, em Salvador, e foi vista por mais de dez mil pessoas. A escolha pela capital pernambucana não é à toa. A mostra acontece paralelamente ao XI Seminário Docomomo Brasil, dedicado à arquitetura moderna e que se realiza na cidade de 17 a 22 deste mês. "Diógenes Rebouças é um dos grandes nomes da arquitetura brasileira do século 20", define o coordenador geral do seminário Docomomo, Luiz Amorim.

Diógenes Rebouças tem a maioria dos trabalhos erguida no Nordeste - além da Bahia, possui obras em Sergipe e Alagoas. Em Pernambuco, ele chegou a ser consultor da Fundação de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Recife (Fidem) nos anos 70. Também foi consultor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Além dos projetos, ensinou por mais de trinta anos no curso de arquitetura da Universidade Federal da Bahia e foi responsável pela ida à Bahia de nomes como a ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, que projetou o Museu de Arte de São Paulo.

A exposição "Diógenes Rebouças: cidade, arquitetura e patrimônio" é promovida pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia e Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento da Bahia, com apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, Odebrecht e Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia. Do Recife, a mostra voltará para a Bahia e, no segundo semestre, será montada no Museu da Casa Brasileira, na capital paulista.


Serviço:

O que: Exposição "Diógenes Rebouças: cidade, arquitetura e patrimônio"
Onde: Galeria Janete Costa, Parque Dona Lindu, Recife
Quando: De 16 a 24 de abril de 2016
Horário: abertura, dia 16: das 17h às 20h; e de 17 a 24, das 12h às 20h

Nenhum comentário:

Postar um comentário