segunda-feira, 18 de abril de 2016

Literatura infantil pode ser ferramenta para enfrentar perdas

A morte é um tabu para a maioria das pessoas. Independentemente da idade, o assunto é encarado com pouca naturalidade e essa dificuldade é refletida na hora de abordar o tema junto às crianças. Importante ressaltar que essa tentativa dos pais ou responsáveis de poupar os pequenos por achar que eles não estão prontos para assimilar as perdas pode resultar em problemas futuros.
“Evitar falar sobre a morte com as crianças é um erro comum. Apesar de a atitude ser repleta de boas intenções, isso pode acabar criando uma pessoa que, no futuro, terá dificuldade em lidar com perdas”, explica Mariana Simonetti, psicóloga especialista em luto do Morada da Paz.
A literatura pode ser uma facilitadora para explicar a perda de alguém para as crianças.  Livros que abordem o tema permitem que as crianças tenham contato com o tema de uma forma lúdica e sensível, além de criar uma abertura para que o assunto seja discutido pela família. Assim, é possível criar um espaço seguro para que as crianças possam expressar suas dúvidas e que contribua para que elas aprendam a processar o luto de maneira saudável.
“Os livros infantis naturalizam o assunto da morte com as crianças. Como elas costumam se identificar com os personagens, histórias que apresentem perdas fazem com que elas percebam que a tristeza é algo natural”, analisa Mariana.
Três obras que abordam o tema
1. Menina Nina – Duas razões para não chorar
Autor: Ziraldo
Editora: Melhoramentos
Sinopse: No livro, Ziraldo fala de personagens que conhece, com quem conviveu e com quem construiu sua vida. De forma poética e linguagem simples, o autor sonda os mistérios da vida e da morte falando da dor de um modo delicado e cheio de esperança. Assim, aproveita para ter com Nina, sua primeira neta, uma conversa sobre os mistérios da vida, da morte, da dor.
 
2. Ponte para Terabítia
Autora: Katherine Paterson
Editora: Salamandra
Sinopse: Jess Aarons é um garoto de 10 anos que passou o verão treinando para ser o campeão de corrida da escola. Na volta às aulas, porém, ele é ultrapassado por uma aluna nova. Os dois viram grandes amigos e criam um reino imaginário chamado Terabítia, governado por soberanos protegidos das ameaças e zombarias da vida cotidiana. Um dia, no entanto, uma fatalidade os separa, e Jess precisa ser forte para enfrentar essa triste realidade. A obra foi adaptada para o cinema em 2007.
 
3. A Teia de Charlotte
Autor: E. B. White
Editora: WMF Martins Fontes
Sinopse: O livro conta a história do porquinho Wilbur e sua amizade com a aranha Charlotte, abordando questões como afeição e proteção, aventura e milagre, vida e morte, confiança e traição. Já foi levado ao cinema na forma de desenho animado (1973), um clássico da Sessão da Tarde. Tem ainda uma versão estrelada por Dakota Fanning e Julia Roberts, lançada em 2006.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário