quinta-feira, 14 de abril de 2016

Natal e Porto de Galinhas retomam fluxo internacional




Natal e Porto de Galinhas já começam a dar sinais de retomada do fluxo turístico internacional, sobretudo, a partir do segundo semestre do ano passado. Na capital potiguar, segundo a secretária adjunta de Turismo do Rio Grande do Norte, Solange Portela, a grande novidade do ano passado foi a ampla presença de turistas argentinos, que chegaram através do voo semanal Buenos Aires-Natal, aos sábados, implantado pela Gol em maio passado.

Os italianos também retornaram, segundo a secretária, a partir do reinício dos voos semanais Milão-Natal, que passaram a ser operados pela Meridiana Fly. E começa a ser significativa, segundo ela, a presença de europeus, em geral, que desembarcam na capital potiguar no voo direto semanal da TACV, que permite conexões na Ilha do Sal para alguns destinos do Velho Mundo. Em relação à Tap, o incremento foi pequeno em 2015, já que Natal continua atendida por apenas três voos semanais de Lisboa (quatro na alta estação europeia) da aérea portuguesa.

Ao contrário de Natal, que não oficializa os resultados, Porto de Galinhas demonstra o crescimento em números. De acordo com o Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau, os turistas do exterior injetaram R$ 457 milhões na economia local em 2015. Em média, a estadia dos visitantes internacionais gira em torno de nove dias, com gasto diário de R$ 263,18. O valor movimentado representa 26% do total gerado pelos turistas, que anualmente produzem receita aproximada de R$ 1,78 bilhão. Os dados são da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur).

No ano passado, Porto de Galinhas recebeu em torno de um milhão de visitantes – 81% deles brasileiros, provenientes de Pernambuco (22%), São Paulo e interior paulista (16,72%), Minas Gerais (13,20%) e Rio de Janeiro (12,41%). Os turistas estrangeiros – cerca de 193 mil – são , em sua maioria, do Cone Sul. Da Argentina vieram 79% dos estrangeiros. Chilenos representam 4,88%. Uruguaios, 3,25%. Norte-americanos, 2,44. Já os países europeus somam, juntos, 8,15%.

O tempo médio geral de permanência no balneário é de sete dias, com gasto médio diário de R$ 247,80. Os turistas internacionais são os grandes responsáveis pela ocupação dos hotéis locais de quatro e cinco estrelas. O público que visita Porto de Galinhas é majoritariamente composto por famílias (87%), sexo feminino (56%) e faixa dos 36 a 50 anos (40%).

Nos três primeiros meses do ano, a taxa média de ocupação hoteleira atingiu 78%, contra os 70% do mesmo período do ano passado. Entre os hotéis com melhor desempenho estão os de categoria midscale e de luxo, cujo faturamento aumentou 10%.

A estrutura hoteleira de Porto de Galinhas conta com quase 13 mil leitos. Cinco empreendimentos disponibilizam espaços para eventos. Três deles mantêm centros de convenções capazes de abrigar até 1,4 mil pessoas em formato auditório.                                      
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário