sábado, 23 de abril de 2016

"Parece, mas não é": Sport Recife reforça campanha on-line contra a pirataria

O apoio dos torcedores é fundamental para que o combate seja ainda mais forte

"Parece, mas não é": Sport reforça campanha on-line contra a piratariaFoto: Sport Club do Recife

Pirataria é crime. E é com base nisso que a política de combate à pirataria implementada pelo Leão continua cada vez mais forte e persistente. Enaltecer a marca do Sport e pôr fim ao uso indevido da imagem do Maior Clube do Nordeste é uma ação já feita em conjunto com todos os departamentos do Sport. E, para que a campanha tenha seu resultado final atingindo, é também preciso da ajuda da imensa torcida rubro-negra. Torcida esta que é também uma beneficiária desse projeto, uma vez que, ao comprar produtos licenciados, o rubro-negro ajuda financeiramente o Sport, pois o Clube recebe através do licenciamento.

O VÍDEO

O Clube, promovendo o reforço na campanha on-line, lançou um vídeo para conscientizar seus torcedores. Na gravação, é possível ver o goleiro Danilo Fernandes se preparando para treinar na Ilha do Retiro. Pelo menos é o que parece. Na verdade, quem está no seu lugar é um rubro-negro muito parecido com ele, o torcedor João Paulo. Assim como os produtos falsificados, o sósia "parece, mas não é" o original.


"Sabemos da interação dos torcedores e do crescimento das redes sociais como fonte de informação e compartilhamento. Queremos que a campanha de combate à pirataria também atinja a plataforma on-line", comentou a diretora de marketing do Clube, Melina Amorim. "A marca do Sport é muito forte e a torcida tem muita consciência disso. Cada um precisa fazer sua parte para deixá-la ainda maior", concluiu.

AÇÕES REALIZADAS

Enquanto isso, as ações físicas de combate continuam. Com o apoio da polícia, o Clube vem apreendendo produtos falsificados em áreas de grande venda desses artefatos. Já foram confiscados milhares e os vendedores foram encaminhados para prestar esclarecimentos. Quem é pego vendendo itens piratas é indiciado por crimes contra a propriedade industrial, fraude no comércio e crime contra a relação de consumo.


"Como instituição, é uma filosofia muito importante a de combate a esses produtos falsificados. O Sport é o maior prejudicado e, com o apoio das autoridades, conseguimos reunir as denúncias e recolher o que é ilegal", disse o vice-presidente jurídico do Sport, Dr. Lêucio Lemos. 

"Começamos a fazer dias de jogos e também pretendemos ampliar essa fiscalização. As ações são as primeiras de muitas e é muito significativo a ajuda do apoio que o torcedor pode nos proporcionar", finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário