sexta-feira, 1 de abril de 2016

Parque Capibaribe - Praça no entorno de baobá terá parceria com a Prefeitura e Hospital Português

Projeto vai transformar trechos das margens do rio em locais de lazer e convivência, principalmente com a natureza


A revitalização urbana do entorno do Rio Capibaribe, no Recife, começa a ganhar forma. Com a ajuda da iniciativa privada e recursos federais, a ideia de transformar trechos das margens do rio em locais de lazer e convivência, principalmente com a natureza, vai aos poucos saindo do papel. O pontapé inicial é a implantação do Jardim do Baobá, entre as ruas Madre Loyola e Antônio Celso Uchôa Cavalcanti, por trás da Estação Ponte d’Uchoa, no bairro das Graças, Zona Norte. O anúncio das obras foi feito ontem, no local, pelo prefeito Geraldo Julio (PSB). A partir da próxima semana os canteiros de obra já deverão ser instalados. A previsão é de que tudo seja concluído até agosto.


Um outro trecho do projeto Parque Capibaribe, que irá ocupar o espaço que previa antes uma via de quatro faixas, foi modificado para uma via compartilhada entre as pontes da Torre e da Capunga, também nas Graças. O projeto executivo está pronto e a licitação deve ser lançada ainda no primeiro semestre deste ano. A Avenida Beira-Rio contará apenas com uma faixa funcionando com Zona 30. O espaço terá ainda jardins, praças, uma ciclovia e uma pista para pedestres. Os dois lugares nas Graças devem ganhar equipamentos semelhantes, como brinquedos, mesas e bancos.

Uma das diferenças entre um trecho e outro é que o orçamento de R$ 1,5 milhão do Jardim do Baobá será dividido entre a Prefeitura do Recife e o Hospital Português, por meio de parceria. Já o trecho entre as pontes da Torre e da Capunga custará R$ 22 milhões e será financiado com recursos federais do PAC Pavimentação. 

No jardim, a árvore centenária da espécie baobá será o principal atrativo. Por esse motivo deverá receber um espaço de estímulo à reflexão sobre a importância do baobá. Com quinze metros de altura e tronco de cinco metros de diâmetro, ela é tombada como patrimônio do Recife desde 1988.

Ao lado do baobá serão instalados três balanços duplos com seis metros de altura e uma mesa comunitária com 10 metros de comprimento. Haverá também um pier flutuante por onde pequenas embarcações poderão ter acesso às margens do rio. Sobre a colaboração da iniciativa privada para possibilitar a construção do Jardim do Baobá, o prefeito Geraldo Julio destacou que “o poder público passa por um momento de dificuldades, tornando necessárias as parcerias”. O vice-provedor do Hospital Português, Alberto Ferreira da Costa Júnior, afirmou que o projeto “agrada ao hospital porque vai melhorar a qualidade de vida das pessoas”.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente, Cida Pedrosa, a expectativa é concluir o trecho da Avenida Beira Rio no primeiro semestre de 2017. “Esses espaços significam a possibilidade de a gente devolver o rio para as pessoas. No caso específico do primeiro trecho, devolvemos o rio e o baobá. É a devolução da cidade para que as pessoas possam viver bem nela.” 

A proposta do Parque Capibaribe foi desenvolvida por técnicos da Universidade Federal de Pernambuco. O projeto visa recuperar 30 km de margens e reintroduzi-las na rotina da população. O objetivo é implantar um sistema de mobilidade não motorizada com passeios e ciclovias, revelando paisagens por meio de áreas de estar, passarelas e píeres. O Parque Capibaribe se estenderá por todo o percurso do rio, articulando espaços públicos entre 35 bairros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário