sábado, 16 de abril de 2016

Plataforma do MEC ajuda feras a turbinarem preparação para o Enem

Página Hora do Enem reúne aulas, vídeos, simulados e informações sobre o exame

Plataforma pode ser acessada pelo celular, tablet ou computador / Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Plataforma pode ser acessada pelo celular, tablet ou computador

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Exatos 203 dias antecedem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, cujas datas foram anunciadas anteontem pelo Ministério da Educação (MEC). É um bom tempo até chegar 5 e 6 de novembro, quando os testes vão acontecer. A plataforma A Hora do Enem, criada pelo MEC em parceria com o Sesi e a TV Escola, reúne em um só lugar estudo, informação e dicas para os vestibulandos. Pode ser acessada pelo computador, celular ou tablet. 

Se o estudante aproveitar o conteúdo do site e estudar em média 2,5 horas todos os dias tem chance de melhorar 30% no seu desempenho no Enem, afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, baseado em projeções feitas pela equipe que planejou a plataforma. Um dos diferencias da página é a possibilidade de montar um plano de estudo personalizado, a partir do que o candidato sabe e do tempo que pretende destinar ao estudo.

“É mais que um ambiente interativo. Reúne programa de televisão, boletins, aulas e mais um série de ações que vão possibilitar maior acesso à universidade”, destaca o gerente de Educação da Roquete Pinto, Walmir Cardoso, entidade que participa da produção da plataforma.

O JC acessou o site e achou-o fácil de navegar. Antes de entrar na página é feito um rápido cadastro, onde o participante informa nome completo, email e cadastra uma senha. Em seguida, diz sua idade, gênero, cidade e Estado de origem, escolaridade e se já fez a avaliação nacional.

O plano de estudo sugere um assunto por dia (o candidato pode seguir ou não a ordem). Para saber o nível de conhecimento que o fera tem é feito primeiramente um questionário com quatro perguntas. Os temas são ensinados por meio de textos e vídeo-aulas. Quando termina a explicação há um resumo e um novo exercício para avaliar o aprendizado.

Há conteúdo de nove matérias que caem no Enem (matemática, física, química, biologia, história, geografia, filosofia, sociologia, português). Ficaram de fora as línguas estrangeiras (inglês e espanhol). Também não há como treinar para redação na plataforma do MEC. Interessante porque o vestibulando pode escolher um tema aleatório e ver a lista de assuntos que abordam esse tema em diferentes disciplinas.

Uma boa oportunidade para avaliar como está a preparação é responder aos quatro simulados que acontecerão este mês (no próximo sábado), em junho, agosto e outubro. O MEC promete enviar para as Secretarias Estaduais de Educação relatórios com os desempenhos dos estudantes.

Fera de engenharia, Arthur Lobo, 17 anos, prefere o formato tradicional de estudo. Na escola, presta atenção nas aulas. Em casa, revisa o que aprendeu e procura não acumular assunto. Só recorre à internet quando ficou sem entender algum ponto ou acha importante complementar o tema estudado.



“Mas acho legal o MEC criar uma plataforma com informações importantes para quem vai fazer o Enem”, diz Arthur, que participou do exame ano passado para treinar.

JC Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário