terça-feira, 19 de abril de 2016

Sete benefícios dos MOOCs para as PMEs


Tatiana Laborde e Andrea Ortega*

Incrementar a competitividade das pequenas e médias empresas é um desafio constante, quase impossível de alcançar sem a formação adequada. Embora o acesso a ferramentas educativas possa ser complexo, seja pela falta de recursos ou tempo, isso é vital. Segundo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), “a educação de qualidade é a pedra fundamental da competitividade”, assim seus estudos demonstram que os adultos com estudos universitários ganham em média 80% a mais que os adultos com ensino médio completo.


No entanto, faz mais de cinco anos que os cursos online abertos e massivos, conhecidos como MOOC (Massive Open Online Course, sigla em inglês), vêm revolucionando e democratizando a educação. Com uma oferta que supera dois mil cursos e milhões de alunos de todo o mundo, segundo EdSurge, hoje, os MOOCs estão mudando o jogo. Em especial uma nova modalidade está abrindo oportunidades para as pequenas e médias empresas (PMEs) na América Latina e no Caribe. 

Os pequenos cursos privados online ou SPOCs (Small Private Online Course, sigla em inglês), oferecem várias vantagens sobre os MOOCs, especialmente para as PMEs cujas necessidades em termos de tempo, recursos e flexibilidade são muito particulares.

Estes são os sete benefícios dos MOOCs para as PMEs da região:

1. Diminuem a lacuna do conhecimento

Um estudo realizado pela Organização Internacional do Trabalho aponta que “no desenvolvimento de capital humano qualificado reside uma das principais armadilhas e desafios para as MIPMES latino-americanas, tanto no que diz respeito à parte gerencial como dos trabalhadores”. Isto se deve ao fato de que na América Latina existe uma carência de formação de competências básicas necessárias para uma posterior capacitação contínua na empresa.
Este fenômeno faz com que os empresários da região contem com menos ferramentas competitivas. Entretanto, a Corporação Interamericana de Investimento (CII) já comprovou por meio de seus programas de FINPYME, que a combinação dos SPOCs junto a um diagnóstico desenhado para PMEs e os treinamentos presenciais permitem reduzir estas lacunas.

2. Economia de tempo e comodidade

Um dos maiores problemas que os empresários enfrentam na atualidade é a falta de tempo para se capacitar ou assistir a eventos que podem ser benéficos para o desenvolvimento e crescimento de seu negócio. Por esta razão, os cursos online são uma alternativa prática de capacitação que facilita o acesso em qualquer lugar, através de uma conexão de internet.

3. Aprende a aplicar a teoria na realidade das PMEs

Diferentemente dos MOOCs tradicionais, que podem ser altamente teóricos, os SPOCs são facilmente aplicáveis a realidade das PMEs latino-americanas.
Todo o conteúdo que estes cursos fornecem está baseado na experiência em campo. Além disso, o modelo de ensino deste tipo de curso permite demonstrar a teoria, através de ferramentas de trabalho manejáveis para as PMEs.

4. Incrementar a rede de contatos

Programas como FINPYME Diagnostics e GREENPYME oferecidos pela CII, criam instâncias para que os alunos possam aprender das experiências dos outros e conectar-se com empresas de diferentes lugares da região e do mundo. Desta forma, os SPOCs são também uma instância para incrementar a redes de contatos das PMEs e desenvolver alianças com empresários incluindo de outros setores.

5. Flexibilidade

Uma das principais vantagens dos MOOCs é a flexibilidade para realizar os cursos. Por se tratar de capacitações online, as pessoas podem ver as sessões e realizar as avaliações, de acordo com os horários que melhor se acomodem dentro dos prazos indicados para cada sessão.

6. Apto para todos

Outra das complexidades que existem na hora de realizar capacitações externas é que muitas vezes, para poder acessar a um curso é necessário ter um título profissional relacionado ou prova de que se tenham conhecimentos na indústria específica do curso. Contudo, estes MOOCs não requerem conhecimentos prévios e os conteúdos são ministrados em uma linguagem fácil de entender, o que os tornam mais acessíveis.

7. É um conhecimento dinâmico

Este modelo de MOOCs permite que os conhecimentos ministrados não sejam estáticos. Estão em constante evolução, já que se complementam com a experiência e comentários dos alunos. Desta forma, nos permitem ajustar constantemente nosso modelo e nossos conteúdos para fazê-los mais completos e enriquecedores.
Na Corporação, membro do Grupo BID, os SPOCs da Academia do ConnectAmericas permitiram renovar os MOOCs e desenvolver um modelo pioneiro, especificamente pensado para as necessidades das pequenas e médias empresas na América Latina e no Caribe. Isto tem permitido incrementar nosso impacto o desenvolvimento e aumentar a quantidade de pessoas que recebem assessoria técnica.
Atualmente, temos seis cursos disponíveis, oferecidos em diferentes momentos do ano sobre temas de planejamento, governança corporativa, capacidade de exportação e competitividade. Até o momento são mais de 11 mil pessoas registradas, com mais de dois mil certificados emitidos. Nossos SPOCs tem uma taxa de finalização de 17% – entre os 12% acima da média dos MOOCs tradicionais. Ficou interessado?  Visite a Academia do ConnectAmericas.
Post publicado originalmente em espanhol no blog do BID, Sector Privado

*Tatiana Laborde trabalha na Divisão de Estratégia e Inovação da Corporação Interamericana de Investimentos (CII), uma instituição membro do Grupo do BID. Seu trabalho está centrado no desenvolvimento de ferramentas de aprendizagem para apoiar o crescimento das pequenas e médias empresas (PYME) na América Latina e no Caribe. Entre outros projetos, Laborde dedica ao desenvolvimento de cursos online abertos e massivos (MOOC) e do App FINPYME, um aplicativo para dispositivos móveis que oferece assessoramento para as PYME. É responsável pelos conteúdos do ConnectAmericas Academy, uma plataforma do Grupo BID dedicada a promover o comércio exterior e o investimento internacional. Seus cursos MOOC têm alcançado mais de 11 mil usuários, com uma porcentagem de conclusão dos cursos de 16%.
Tatiana é graduada em Ciências Políticas e História pela Universidade de Houston e possui mestrado em análises e resolução de conflitos pela Universidade de George Mason. Laborde aprecia o papel do setor privado como elemento pacificador nas sociedades que tem sofrido conflitos e o apoio que oferecem as instituições internacionais neste processo.

*Andrea Ortega é jornalista da Universidade do Chile e escritora. Trabalhou por cinco anos no jornal chileno El Mercurio, onde recebeu o prêmio de Qualidade e Inovação em Jornalismo Capa/Alltech em 2012. Adicionalmente, especializou-se em economia e publicou um livro sobre a indústria de varejo no Chile, chamado “Chile: o negócio do século XXI”. Antes de seu ingresso na Corporação trabalhou como coordenadora nacional de imprensa para o Serviço Agrícola e Pecuária, do Ministério da Agricultura no Chile e hoje cursa mestrado em Estudos Profissionais de Relações Públicas e Comunicação Corporativa na Universidade de Georgetown.

Ideação

Nenhum comentário:

Postar um comentário