segunda-feira, 9 de maio de 2016

Apex-Brasil irá instalar escritório no Recife até o segundo semestre

Unidade irá estimular o crescimento e inserção de empresas do Nordeste no comércio exterior



O Recife vai ganhar um escritório da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) no segundo semestre deste ano. A unidade pretende estimular o crescimento e a inserção das empresas do Nordeste no comércio exterior e vai funcionar na Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), na área central da Capital.

A criação do escritório foi anunciada na manhã desta segunda-feira (9) pelo ministro interino de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Furlan; pelo presidente da Apex, David Barioni Neto; e pelo vice-presidente da Fiepe, Ricardo Essinger. Noemado gerente do escritório, Armando Reis Peixoto, também participou da cerimônia, que reuniu representantes de todos os segmentos industriais do Estado na sede da Fiepe.

“Pernambuco teve um papel importante para a exportação brasileira. Foi o primeiro exportador do País, mas foi perdendo espaço na pauta exportadora ao longo do tempo. Agora, esse escritório vai nos ajudar a retomar essa participação”, comemorou Essinger, contando que, hoje, apenas 240 empresas pernambucanas vendem para o exterior. A expectativa é que, com o apoio da Apex, este número suba para 600 no próximo ano.

Apesar de ambiciosa, a meta é possível segundo Barioni e Furlan. Eles explicaram que Pernambuco foi o estado escolhido para receber a unidade de negócios da Apex no Nordeste justamente por ter um ambiente de negócios que se destaca no cenário brasileiro. “Não viemos para cá por acaso, mas porque o Estado conseguiu se organizar para criar um bom ambiente de negócios”, disse Furlan, contando que o Estado foi escolhido após um estudo que avaliou todo o panorama nordestino.

“Pernambuco atraiu o terceiro maior número de investimentos estrangeiros do Brasil no ano passado, atrás somente de São Paulo e do Rio de Janeiro. 90% das exportações do Nordeste passam por Pernambuco, Bahia e Maranhão e Pernambuco tem uma indústria mais diversificada, que vai do gesso à tecnologia da comunicação. Isso mostra que este é um ambiente favorável para os negócios”, completou Barioni, contando que o Estado ainda se destacou pelos baixos custos de investimento e energia, além da logística facilitada por conta da proximidade com o aeroporto e da presença do Porto de Suape.

Nenhum comentário:

Postar um comentário