quarta-feira, 18 de maio de 2016

Conjunto Habitacional Lemos Torres sai do papel após oito anos no Recife

Dividido em seis blocos, residencial vai abrigar 192 famílias da Comunidade Lemos Torres, localizada às margens do Canal Parnamirim-Santana. Conclusão da obra permitirá intervenções na mobilidade e drenagem dos bairros da região

Obras do habitacional começaram em março desse ano / Foto: Bobby Fabisack/JC Imagem

Obras do habitacional começaram em março desse ano
Foto: Bobby Fabisack/JC Imagem

Guilherme Bertouline

Após quase oito anos de espera, os moradores da Comunidade Lemos Torres, localizada às margens do Canal do Parnamirim-Santana, em Casa Forte, Zona Norte do Recife, finalmente estão vendo as primeiras etapas da construção do residencial que leva o nome da comunidade. No mês passado, a Prefeitura do Recife iniciou a obra do Conjunto Habitacional Lemos Torres, que, quando concluído, abrigará 192 das 413 famílias que vivem no local. Os moradores, no entanto, reclamam dos atropelos no processo de implementação do projeto, que integra um conjunto de intervenções que vão melhorar a mobilidade e drenagem da região, com a construção de uma via marginal ligando a Avenida 17 de Agosto à Estrada do Encanamento e a outras vias da área.

O habitacional foi eleito como prioridade no Orçamento Participativo ainda na gestão do ex-prefeito João Paulo, em 2008. De lá para cá, pouco sinal de obras. Em julho do ano passado, o  foi ao local e conferiu que somente estacas de madeira haviam sido colocadas, apesar da demolição de algumas casas já ter sido realizada. 

JC-CID0518_LEM01_LEMOS9_WEB

“As obras atrasaram por conta da regularização de uma área do terreno e pela demora do repasse federal, na linha do programa Minha Casa, Minha Vida para os habitacionais vinculados a obras de infraestrutura, como é o caso da Lemos Torres”, justifica o secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos do Recife, Victor Vieira. O valor da obra é de R$ 13,2 milhões, sendo R$ 1 milhão de contrapartida do município e o restante custeado pela União.
As obras de infraestrutura às quais o secretário se refere são a conclusão da requalificação do Canal do Parnamirim-Santana e a construção de vias marginais para desafogar o trânsito na área, que só poderão ser feitas após a realocação dos moradores. Desde março, 60 homens trabalham na construção de 96 dos 192 apartamentos. Serão seis blocos, cada um com 32 unidades. A previsão é de que todas as unidades sejam entregues no final de 2017.
Entre os moradores, há um misto de animação e desconfiança em relação aos serviços. “Estamos animados nas últimas semanas, pois temos visto a obra andar do jeito que a gente espera, mesmo com os anos de atraso”, comemora o líder comunitário Marcelo Fernandes, 47 anos, que participa desde o início da concepção do projeto.

O famoso boxeador pernambucano Luciano Todo Duro, 50, que sempre morou na Lemos Torres, se queixa do tempo que a prefeitura levou para tocar a obra. “Estou cadastrado para receber um apartamento e há quatro anos que essa obra está atrasada”, reclama.
Com a obra, também vieram alguns transtornos. O principal deles é a não retirada dos entulhos das casas demolidas para abrigar o canteiro. Há meses, o que sobrou dos imóveis serve como depósito de lixo e expõe a população a doenças. Os escombros bloqueiam o canal e quando chove forte a região fica alagada. A demora na entrega do habitacional Casarão do Barbalho, no bairro da Iputinga, Zona Oeste, que abrigará outras 221 famílias da comunidade, também incomoda. Ainda há queixa sobre o atraso no repasse de indenizações e auxílio-moradia.
De acordo com Empresa de Urbanização do Recife (URB), a remoção dos entulhos foi solicitada e uma equipe será enviada esta semana. Segundo a Secretaria de Habitação, o Casarão do Barbalho está em fase de acabamento e tem previsão de entrega para o início do ano que vem.



Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
  • Foto%3A%20Bobby%20Fabisak/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bobby%20Fabisak/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bobby%20Fabisak/JC%20Imagem
  • Foto%3A%20Bobby%20Fabisak/JC%20Imagem

JC Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário