domingo, 15 de maio de 2016

Hospital da Mulher do Recife recebe mutirão de cirurgias

Nesta primeira semana de funcionamento, o HMR já realizou cerca de mil atendimentos




Jedson Nobre/Folha de Pernambuco
Promessa é que, na abertura de todas as alas, prevista para até 90 dias, a unidade seja a maior e mais completa do Recife

Daqui a dois meses o Hospital da Mulher do Recife (HMR) deve iniciar uma programação de mutirões para cirurgias ginecológicas. Com capacidade para 250 procedimentos por mês, esse serviço será aberto em até 60 dias. Mas para dar celeridade à espera de mulheres, paralelamente, será realizada uma força-tarefa.


Na sexta-feira (13), o HMR foi oficialmente inaugurado, com a presença de diversas autoridades da Cidade. O prefeito Geraldo Júlio recebeu o governador Paulo Câmara, o secretário estadual de Saúde, Iran Costa, além de diversos deputados e vereadores, para celebrar o equipamento construído com recursos municipais, estaduais e federais.

“Dentro de 60 dias é nossa previsão para começarem os serviços de cirurgia ginecológica e, como nós reconhecemos que há uma fila importante na oferta desse serviço, vamos mesclar a oferta regular dos procedimentos, mas também fazer o planejamento de mutirões”, disse o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

“Esses mutirões visam atacar as maiores filas de procedimentos de menor complexidade que podem ter uma rápida resolução”, continuou. Diretora da unidade, Isabela Coutinho reforçou a necessidade de celeridade para essas operações que exigirão a confecção de um cronograma específico.

“O mutirão é uma necessidade. Temos um gargalo muito grande de cirurgia, com muita gente na fila”, reforçou. Nesta primeira semana de funcionamento, o HMR já realizou cerca de mil atendimentos entre consultas e exames. A promessa é que, na abertura de todas as alas e o funcionamento 100%, prevista para até 90 dias, a unidade seja a maior e mais completa em operação no Recife.

“A chegada do hospital, além de toda a qualidade do atendimento especializado, ainda traz um aumento na quantidade de leitos e uma possibilidade de a mulher ter sua assistência com a qualidade técnica que ela merece”, enfatizou Isabela.

O prefeito Geraldo Julio fez questão de destacar o marco que o hospital traz para a Cidade, principalmente na questão da maternidade, que terá capacidade de realizar 400 partos por mês, a partir da primeira semana de junho, quando a ala estará em funcionamento. “As crianças começam a nascer com muita dignidade numa estrutura como essa do hospital”, disse.

Como unidade de alto risco, o HMR contará com alguns dos equipamentos de ponta, que não existiam na rede própria. Um deles é o cardiotocógrafo, que permite o monitoramento do bebê durante todo o parto até o nascimento.

Outro ganho será a realização de histeroscopia cirúrgica - diagnóstico de patologia intraútero -, que antes era ofertado em rede credenciada e agora passa a ser da rede municipal. A grandiosidade do hospital também exigiu a implantação de um cartório próprio dentro das instalações, que poderá fazer o registro de nascimento dos bebês.

 Renata Coutinho, da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário