terça-feira, 17 de maio de 2016

Jovens pernambucanas criam aplicativo para estimular ações solidárias

Estudantes vão representar Pernambuco na maior competição de tecnologia para meninas do mundo

por Nathália Guimarães

Aline Pinheiro/Divulgação Quinteto criou o aplicativo durante mararonta de programação Aline Pinheiro/Divulgação
Cinco estudantes da Escola Técnica Estadual (ETE) Cícero Dias, localizada em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, criaram um aplicativo que reúne iniciativas de ações sociais, tanto de pessoa física como instituições, para incentivar os usuários a fazerem a diferença em sua comunidade. O serviço do bem foi criado para dispositivos com o sistema Android e estará disponível na Google Play, em agosto.

Os usuários do aplicativo Wereld são desafiados diariamente a melhorar a comunidade onde vivem. Atividades como plantar uma árvore ou doar sangue estão entre as missões. Segundo as criadoras da ferramenta, a proposta toma como base os objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

"Nosso objetivo é criar o hábito nas pessoas de pensar em como podem ajudar e mudar o ambiente onde vivem, fazendo a mudança pensando no próximo", pontua a estudante Carla Medeiros, uma das criadoras do aplicativo.

Carla e outras quatro garotas - Thais Conceição, Steffane Ribeiro, Paula Carollina e Rachel Nicole - criaram o aplicativo Wereld durante uma maratona de programação e agora vão representar Pernambuco na etapa nacional do concurso Technovation Challenge, a maior competição de tecnologia para meninas do mundo.

A etapa nacional do concurso será virtual, onde os trabalhos serão avaliados por profissionais do mundo inteiro. Os melhores projetos ganham a chance de ir para o Vale do Silício, nos Estados Unidos, e podem levar um prêmio de US$ 10 mil (aproximadamente R$ 35,3 mil). Com seis anos de realização, o Technovation impactou mais de seis mil garotas em 64 países.

Em 2014, um grupo de garotas de Santarém (PA) - que desenvolveu um aplicativo para adotar árvores na Amazônia e ajudar a combater o desmatamento - ficou entre os 10 finalistas do campeonato. Em 2015, foram as meninas do Recife que representaram a América Latina na final da competição, desenvolvendo um jogo educativo sobre o uso consciente da água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário