segunda-feira, 16 de maio de 2016

Número de hostels no Brasil cresce mais de cinco vezes

No total, a oferta brasileira desse meio de hospedagem no Hostelworld, líder de reservas no segmento, é composto por mais de 750 estabelecimentos

Che Lagarto Hostel em Foz do Iguaçu ( Foto: Divulgação )
Os chamados viajantes “millennial” ou da Geração Y – geração nascida nos anos 80 e 90 está revolucionando o mercado de hostels em todo o mundo. De acordo com estudo sobre tendências para esse meio de hospedagem realizado pela Phocuswright e divulgado pela Hostelword, plataforma on-line líder de reservas no segmento. 

É o caso do Brasil, que em cinco anos cresceu mais do que cinco vezes o número de estabelecimentos disponíveis na Hostelworld. 

Ao longo dos anos, hostels se tornaram sinônimo de hospedagem barata e com poucos recursos. Por muito tempo essa foi a realidade. No entanto, o estudo mostra que a indústria vem se aperfeiçoando e se adequando às demandas do público frequentador. Essas exigências culminaram no aumento do número de quartos-dormitório. De acordo com o estudo, 90% dos hostels disponíveis na Hostelworld também disponibilizam quartos privados – segundo a Phocuswright, atualmente existem mais dormitórios privados do que compartilhados na rede. 

A Geração Y, em geral, é o tipo de gente a se encontrar nestas hospedagens (70% do total). Ela prioriza cada vez mais as interações sociais e aventuras compartilhadas com novos amigos em comparação com a média da população viajante. 

A pesquisa revelou ainda que os viajantes que se hospedam em hostels realizam mais viagens em todos os mercados do que qualquer outro tipo de turista e eles são mais propensos a ir para o Exterior. Se engana quem acredita que é um público que vai acrescentar pouco à economia. O estudo mostra que, mesmo com uma renda média global menor, o público de hostel gasta em níveis semelhantes ou até maiores do que a população viajante em geral e costumam ficar mais tempo nos locais que visitam. 

Apesar de mais abertos a experiências alternativas, eles exigem certos confortos em troca. Por isso, cresce o número de hostels que fornecem wi-fi gratuito, comida e bebidas no local, serviços de limpeza diária, eventos sociais, aluguel de bicicletas, bibliotecas e salas de TV. Avalia-se que atualmente a indústria represente US$ 5,2 bilhões em receita de hospedagem. 

No Brasil
De acordo com o estudo, o Brasil notou crescimento de 533% nos últimos cinco anos. No total, a oferta brasileira de hostels da plataforma é composto por mais de 750 estabelecimentos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário