quinta-feira, 5 de maio de 2016

PPPs de estados e municípios estão no radar das construtoras


As obras menores estão no radar da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Há ao menos 400 projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) de infraestrutura em estados e municípios, conta José Carlos Martins, presidente da CBIC. 

As obras têm o perfil das empreiteiras menores, custam de R$ 20 milhões a R$ 100 milhões, e não dependem do governo federal. As parcerias com prefeituras e governos estaduais podem ser o arranque que o setor de construção civil precisa para se recuperar. 
— É mais simples executar 20 projetos de R$ 50 milhões do que uma obra de R$ 1 bilhão. 

A recuperação, assim, atinge mais regiões pelo país. Nesse momento, as PPPs de estados e municípios são mais fáceis de tirar do papel do que os grandes projetos do governo federal — conta Martins.

O executivo conta, porém, que há dois grandes desafios em relação às PPPs. Os governos precisam de apoio técnico para montar projetos de parceria em aterros sanitários ou iluminação pública, por exemplo. 

Outro ponto é o modelo de garantias do investimento. Uma das soluções propostas pela CBIC é que os recebíveis dessa parceria sejam usados para garantir o financiamento. O setor estuda alternativas para engatar a recuperação sem depender do fôlego financeiro dos governos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário