sexta-feira, 13 de maio de 2016

Prefeito do Recife lança edital do Porto Social, projeto que vai incubar ONGs

img_alt

Projeto foi lançado nesta quinta (12) e servirá como incubadora para ONGs que queiram receber capacitação e aprendizado em diversas áreas (Foto:Andréa Rêgo Barros/PCR)

O Recife deu mais um passo nesta quinta-feira (12) para reforçar o título de Capital da Solidariedade do Brasil, com o lançamento do Porto Social. A iniciativa foi criada para acelerar e incubar, inicialmente, 50 projetos sociais, ONGs e negócios de impacto social. 
A iniciativa partiu do próprio setor social e conta com o apoio institucional da Prefeitura do Recife. O prefeito Geraldo Julio participou da solenidade de lançamento do projeto, que funcionará em um espaço da Interne Educação, na Ilha do Leite. 

O Porto Social é inspirado no Porto Digital, que é conhecido em todo o mundo como uma referência em tecnologia. O projeto reuniu o apoio de empresários e do poder público para que 50 projetos sociais recebam mentorias e capacitação para ampliar suas áreas de atuação e transformação comunitária. “Existe um reconhecimento em todo o mundo do papel do Porto Digital, e o Porto Social vai dar oportunidade para estes projetos de empreendedorismo social. Aqui eles terão espaços para se desenvolver, para receberem conhecimento e para serem incubados. É a oportunidade para estes empreendimentos sociais serem capacitados”, destacou Geraldo. 

A instituição vai funcionar em um espaço de 2.000 metros quadrados cedido pela Interne Educação, principal apoiadora da iniciativa. No local, os representantes das instituições beneficiadas terão acesso a um “coworking social”, que é um espaço compartilhado com computador, acesso à internet, auditório e estrutura para cursos e capacitações em nove áreas, como gestão, comunicação e marketing, empreendedorismo e captação de recursos, entre outras. “Nós, empresários, estamos preocupados no cotidiano com créditos e débitos, com o trabalho da nossa empresa, mas basta plantar uma semente como esta para a gente contribuir minimamente”, comemorou a presidente da Interne, Paula Meira. “Pequenas ações podem gerar grandes transformações para a sociedade e esse é nosso objetivo aqui”, acrescentou. 



Não serão apenas as ONGs selecionadas que terão acesso ao local, já que a ideia é criar também cursos livres para a sociedade. Já a Prefeitura do Recife vai dar apoio institucional ao projeto. “A gente já fez um grande trabalho através do Transforma Recife e muita gente me perguntava como poderíamos ajudar outras instituições. O objetivo da gente é espalhar isso pela cidade. O modelo que foi construído no Terceiro Setor aqui no Recife, com o apoio do poder público, se fortalece”, comemorou o presidente do Porto Social, Fábio Silva.

EDITAL – O edital de convocação para as ONGs interessadas em fazer parte do Porto Social segue aberto até 20 de maio, através do site www.portosocial.com.br. Cinquenta iniciativas serão selecionadas e vão receber orientação profissional e de empreendedorismo, mentoriamento e direcionamento para ampliação do impacto social a ser promovido. O resultado será anunciado dia 6 de junho. Podem se inscrever projetos em andamento, com ou sem registro de CNPJ, mas que possam demonstrar sua capacidade de impactar a comunidade. A expectativa é atrair investimentos para as organizações e projetos, além de novos apoios da iniciativa privada.

CAPITAL DA SOLIDARIEDADE – Recife recebeu informalmente esse título a partir da criação da plataforma Transforma Recife, que reúne os dados das ONGs que atuam na cidade (cerca de 400) e cadastra os  voluntários que desejam dedicar tempo a causas sociais. O cruzamento das informações  já rendeu cerca de 70 mil voluntários inscritos e mais de 450 mil horas de trabalho voluntário em um ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário