sexta-feira, 20 de maio de 2016

Toda a mídia de São Francisco, EUA, falará sobre sem-tetos por uma semana

A ideia é trazer o tema à discussão e incentivar o governo a tomar uma atitude.

Toda a mídia de São Francisco, EUA, falará sobre sem-tetos por uma semana
30 empresas de mídia já se comprometeram com a ação, que ocorrerá durante a semana de 29 de junho. | Foto: Ronnie Chua/iStock by Getty Images

A quantidade de pessoas que não têm onde morar cresce a cada em diversas cidades do mundo. Em São Francisco, na Califórnia, não é diferente. Nos últimos anos, o número de sem-tetos vem em uma crescente, mas o problema parece ser ignorado por boa parte da população e da comunidade política. Para evidenciar este problema, jornais, revistas, sites, TV e rádios locais se uniram e vão estampar suas notícias com o tema por uma semana.

A ideia foi concebida por Audrey Cooper, editor-chefe no jornal San Francisco Chronicle. O intuito por trás da proposta é fazer com que a população não tenha outro lugar para olhar senão para os problemas e a causa dos sem-teto.

De acordo com a prefeitura, o último senso realizado na cidade californiana contabilizou 6.700 pessoas em situação de rua, dentre os quais, 850 são jovens desabrigados.  Apesar de ser um grande problema, é algo pouco discutido, pois boa parte das pessoas e da própria mídia tendem a ignorar esses cidadãos que estão, de certa forma, à margem da sociedade.

Michael Gray, editor no Chronicle, explica que a mídia pode ter um enorme poder social em prol desta causa. “Em vez de apenas ficar lamentando o fato de que este problema existe, queremos avançar o diálogo em outra direção”.

Até o momento, 30 empresas de mídia se comprometeram com a ação, que ocorrerá durante a semana de 29 de junho. Entre os participantes estão companhias concorrentes e sites de grande alcance, como o BuzzFeed e o Mashable. Cada um dos veículos abordará o tema de maneira diferente, mas a ideia é produzir um dilúvio de informações.

A iniciativa também serve como uma cutucada na população, iniciativa privada e no próprio poder público. “Se todas essas empresas e indivíduos independentes podem deixar de lado as suas diferenças e quebrar seus pequenos domínios, é óbvio concluir que os órgãos públicos também poderiam seguir o mesmo exemplo”, opinou Jon Steinberg, editor-chefe da revista San Francisco, ao New York Times.

Redação CicloVivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário