terça-feira, 31 de maio de 2016

Vila de milionários na Suíça prefere pagar R$ 1 mi do que receber 10 refugiados

Oberwil-Lieli negou que a decisão seja racista

Oberwil-Lieli é uma comuna da Suíça, no Cantão Argóvia (foto), com pouco mais de 1,5 mil habitantes (Foto: Wikimedia Commons)

Uma das mais ricas vilas da Europa, na Suíça, preferiu pagar uma multa de 200 mil libras (cerca de R$ 1 milhão) do que receber 10 refugiados. A vila de Oberwil-Lieli, um distrito do Canto de Argóvia, localizado no norte do país, tem cerca de 2,2 mil habitantes - sendo 300 deles milionários. 

Segundo o jornal Daily Mail, um referendo foi realizado entre eles para saber se a vila iria aderir à determinação do governo federal que impôs uma cota a 26 municípios para receber refugiados. No total, o governo suíço se comprometeu a dar asilo a 50 mil pessoas ao redor do país. Mas na vila de Oberwil-Lieli o "não" venceu e os habitantes preferiram pagar uma alta multa. 

"Nós não queremos eles aqui. Simples assim", disse um dos residentes da vila ao Daily Mail. "Nós trabalhamos duro em nossas vida para viver em uma vila adorável que nós não queremos que seja deteriorada. Nós não estamos adequados para receber refugidos. Eles não iriam se encaixar aqui", disse. 

O diretor do programa de asilo a refugiados do Reino Unido, Steve Symonds, criticou a decisão da vila suíça afirmando ao The Independent que o "Ocidente precisa tomar sua parcela de responsabilidade na questão dos refugiados". "É verdade que Suíça e Reino Unido estão recebendo uma proporção muito grande de imigrantes. Mas todos nós precisamos fazer nossa parte porque, do contrário, esta crise atual só vai piorar", disse. 

O prefeito de Oberwil-Lieli, Andreas Glarner, negou que a decisão seja racista. "Nós não fomos informados se os 10 refugiados em questão são da Síria ou de outros países que passam por crises econômicas", disse. "Mas sim, os refugiados sírios precisam ser ajudados. Mas seriam melhor atendidos se fossem para campos próximos das regiões onde moram". 

Segundo o prefeito, ao aceitar os refugiados, a vila estaria 'enviando uma mensagem errada'. "O dinheiro poderia ser enviado para ajudá-los , mas se abrigamos eles outros virão. Arriscarão suas vidas atravessando o oceano e pagarão contrabandistas para trazê-los". 

Em abril de 2016, haviam 1,748 solicitações de asilo na Suíça - no ano passado, no mesmo período, eram 1,376 mil. O governo suíço prometeu reassentar 3 mil famílias sírias que fogem do Estado Islâmico e da guerra civil no país. 

POR ÉPOCA NEGÓCIOS ONLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário