sábado, 25 de junho de 2016

Alunos do Recife representarão o Brasil em campeonato de robótica

Jovens enfrentarão 40 equipes de várias partes do mundo, na Alemanha.
Robô é feito com blocos de encaixe precisa cumprir rota com obstáculos.

Alunos de Recife representarão o Brasil em campeonato de robótica (Foto: Carlos Augusto/PCR)

Miguel, Paulo, Maria Eduarda e Maryllia prometem trazer prêmio para casa (Foto: Carlos Augusto/PCR)

Com idades entre 12 e 14 anos, três estudantes da Escola Municipal Rodolfo Aureliano, na Várzea, Zona Oeste do Recife, vão representar o Brasil no campeonato mundial de Robótica na Alemanha. Ainda tão jovens, Maria Eduarda Barbosa, Paulo Poan e Miguel Silva enfrentarão 40 equipes de todas as partes do mundo, do dia 30 de junho a 3 de julho, na cidade de Leipzig. O tão esperado resultado sairá no dia 4 de julho.

A escola ganhou o direito de participar dessa disputa internacional após vencer 81 equipes durante a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) no ano passado. Para a competição na Alemanha, o estudante precisa ter, até o dia 1 de julho, 14 anos. Sendo assim, dos três alunos vencedores da etapa brasileira, apenas Maryllia Willyane cumpre o requisito. Por isso, ela ocupa, atualmente, o papel de pesquisadora da equipe, que pensa soluções e busca estratégias para a vitória.

“Ela é a campeã e tem a idade ainda. É maravilhoso ter Maryllia na equipe que vai para a Alemanha, porque ela passa experiência, os outros alunos, bem mais novos a enxergam como um porto seguro. Fora isso, ela teve e terá um papel muito importante na tradução do inglês para eles”, acredita o professor de matemática e robótica, Cid Espíndola.


Ganhar eu não garanto, mas prometo que vamos dar muito trabalho para as outras equipes"
Cid Espíndola, professor

Como forma de merecimento, os dois outros integrantes e também responsáveis por levar a equipe para a disputa internacional, Emerson Almeida e Gabriel Loureiro, embarcarão para Alemanha como monitores.

“Não sabíamos dessa regra da idade. Precisamos correr contra o tempo para escolher novos estudantes. Agora, selecionamos um grupo bem mais novo para não ter erro. São muito jovens, mas confio no comprometimento deles”, contou Cid.

Novos mesmo. Com apenas 12 anos, as pequeninas mãos de Maria Eduarda carregam a enorme responsabilidade de conquistar o título. Ela ocupa o lugar do programador, o “cabeça” do grupo. É ela que irá controlar o robô e guiá-lo para a conquista.

“Estou treinando há apenas três meses. Estou muito nervosa, mas confiante, porque estamos com uma preparação muito boa, os professores [Cid e Juliana Borges] nos ajudaram muito”, comenta ao dizer que espera uma boa colocação. “Já chegamos até aqui, o que vier é lucro. Lembro que quando o professor chamou meus pais para falar que eu estava na equipe pensei que era alguma reclamação. Então já estou aliviada só por esse fato”, brinca.

Para garantir uma boa colocação e, quem sabe, trazer o desejado troféu, os alunos treinam todos os dias da semana. “Não vamos descansar nem nesse São João”, diz o professor.

Para garantir a vitória, o robô feito de blocos de encaixe precisa percorrer uma pista e passar por desvios, falhas e rampas. Tudo isso para “resgatar” brilhantes bolinhas de alumínio em, no máximo, oito minutos. A equipe que fizer todo o trabalho no menor tempo possível será a grande campeã.

Todos eles embarcam para a Europa no dia 26 deste mês.“Ganhar eu não garanto, mas prometo que vamos dar muito trabalho para as outras equipes”, adianta o professor.


Thays Estarque
Do G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário