sábado, 11 de junho de 2016

Debate sobre mobilidade a pé no Recife

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O Instituto da Gestão (INTG), em parceria com a TGI Consultoria, promoveu na terça-feira (07) um seminário que teve como objetivo o debate da mobilidade a pé na capital pernambucana. 

Com palestras, debates, oficinas reflexivas e uma caminhada guiada pelo bairro do Recife, o evento levantou questionamentos sobre requalificação do espaço urbano e a análise estrutural da cidade, apontando os principais paradigmas e obstáculos do caminhar com qualidade.

De acordo com a presidente do INTG, Fatima Brayner, a falta de planejamento gera impacto na mobilidade urbana, saúde pública e no meio ambiente. “É uma discussão sobre cidadania que interessa a todos, afinal, mesmo se você andar a maior parte do tempo de carro, terá que caminhar em algum momento e o deslocamento poderá ser difícil”, destaca. 

Entre os obstáculos frequentemente encontradas no Recife, Fátima destaca que há um conjunto de elementos, mas que os principais são calçadas em péssimas condições, arborização e segurança. “É um conjunto de itens que dificulta a passagem das pessoas”, afirma.

O evento, que aconteceu na sede do CESAR EDU, no Recife Antigo, tem expectativa para acontecer novamente, mas ainda tem previsão de data.

Ações
A Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) aponta que realiza desde 2013 uma ação pioneira na cidade para a recuperação de calçadas e que neste período foram recuperados 52 quilômetros de calçadas, representando um investimento de R$ 12 milhões. As intervenções incluíram a instalação de 160 rampas de acessibilidade e colocação de mais de três quilômetros de piso podotátil, que são faixas em alto-relevo fixadas no chão com o objetivo de auxiliar na locomoção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário