quarta-feira, 8 de junho de 2016

Nascem os primeiros bebês no Hospital da Mulher do Recife

Foto: Andrea Rego Barros

A maior unidade de saúde já construída na história da Prefeitura do Recife  iniciou a realização de partos, incrementando em 40% a capacidade de atendimento da capital

Caio, Maria Laura, Cauã e Sara são nomes que ficarão na história da cidade. Eles são os primeiros bebês nascidos, de parto normal, no Hospital da Mulher do Recife Dra. Mercês Pontes Cunha, localizado no bairro do Curado.  Esses recém-nascidos e suas mães inauguraram nesta terça-feira (07) e quarta-feira (08) uma nova fase para as mulheres da capital pernambucana. Com o inicio  da realização de partos em menos de 30 dias da entrega da unidade à população, conforme dita o cronograma de abertura de serviços do Hospital, a Prefeitura do Recife incrementa em 40% a capacidade de atendimento desse serviço de saúde para as gestantes.

Os pais de Caio, moradores da localidade de Roda de Fogo, bairro de Torrões, não escondiam a felicidade. Flávio Campelo, 31 anos, revelou que o atendimento superou as suas expectativas. “Estou muito feliz porque tudo aqui nem parece de um hospital público. 

A estrutura e a equipe são show de bola”, disse. Mércia dos Santos, 22 anos, nesta quarta-feira (08) ainda estava emocionada com o nascimento do seu primeiro filho, na noite anterior. “Amei que meu filho tenha nascido  aqui. Tive o que não esperava. Gostei da preparação, da atenção da equipe, da sala onde Caio nasceu, de tudo”, reforçou. Caio nasceu de parto normal, pesando 3,2 quilos e com 48 centímetros. A mãe teve o parto humanizado com estímulos de banho de banheira, bola, além da companhia do pai da criança.

Mãe de Sara, a dona de casa Raquel Ferreira da Rocha, 31 anos, também recebeu estímulo,  para ter seu terceiro filho sentada – método que por promover o parto na posição vertical, facilita a saída do bebê. Mãe e filha passam bem. Sara nasceu na terça-feira (07) de parto normal, humanizado, com 3,3 quilos, medindo 49 centímetros. Raquel disse ter ficado surpresa com o tamanho do Hospital e com a tranquilidade da equipe. “Isso me deixou calma, porque o parto foi diferente dos outros filhos. Achei que foi rápido e que as mulheres que vierem pra cá vão gostar muito”, falou poucas horas depois de dar a luz. 

O marido, Cledevilson Nogueira de Souza, 41 anos, disse que o serviço é excelente. “Tinha escutado falar do Hospital, mas não esperava encontrar uma estrutura desse tamanho”, admirou-se. Eles são do bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. Na rede municipal do Recife mais de 30% de partos são de gestantes de outros municípios.

Nesta quarta-feira (08), nasceu Cauã, o terceiro filho de Luciana Mileide da Silva Lopes, 30 anos, moradora de Água Fria. Cauã pesa 3,8 quilos e tem 50,5 centímetros. Já Maria Laura, filha de Samara Freitas, 19 anos, moradora do bairro do Engenho do Meio, nasceu com 50 centímetros e 4 quilos. As mães e bebês, de parto normal, deverão ter alta nestas quinta e sexta-feira.

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, destaca  que o HMR inicia o atendimento 24h de pacientes encaminhadas pelas três maternidades do Recife (Professor Barros Lima, Bandeira Filho e Arnaldo Marques), com a capacidade para realizar até  400 partos mensais. “Esse número vai representar um incremento de 40% na quantidade de partos ocorridos na Rede de Saúde do Recife. E hoje, com os primeiros nascimentos no HMR, o projeto de governo para oferecer atendimento de qualidade às mulheres do Recife, vira realidade”, festejou o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

O HMR – Em funcionamento desde o dia 10 de maio, o Hospital da Mulher do Recife, já realizou cerca de 5 mil atendimentos, entre exames de ultrassonografia, ambulatoriais e consultas especializadas, obedecendo ao cronograma de abertura de serviços. Instalado em uma área de 30 mil m² e com uma área total construída de 13.348,98 m², localizado na BR-101, no bairro do Curado, o equipamento é a maior unidade de saúde já construída pela Prefeitura do Recife em toda a sua história. 

A unidade de saúde já começou a funcionar com capacidade para realizar por mês 11,8 mil exames e 5 mil atendimentos . O investimento para a obra e aquisição de equipamentos é da ordem de R$ 118 milhões – recursos municipal, estadual e federal.

O acesso das usuárias a todos os procedimentos ofertados pelo Hospital da Mulher segue o fluxo de marcação estabelecido pelo município, por meio do Sistema de Regulação do Recife (Sisreg), com encaminhamento efetuado pelas Unidades de Saúde da Família (USFs ou Upinhas) de referência da usuária, sempre respeitando a ordem cronológica da solicitação e a classificação de risco que é preconizada pelo Ministério da Saúde. As usuárias estão sendo comunicadas do agendamento por meio de SMS, contato telefônico ou pela própria unidade solicitante.

Com a primeira maternidade de alto risco da cidade, o Hospital da Mulher do Recife tem a habilitação para realizar mais de 67 mil procedimentos por mês – partos, cirurgias, exames, internações, consultas especializadas, entre outros atendimentos necessários para garantir a assistência integral à saúde da mulher. 

A unidade, que conta com um total de 150 leitos, realizará 400 partos e 250 cirurgias mensalmente. Tem duas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), sendo uma com 10 leitos para bebês e outra com 10 leitos para mulheres, duas Unidades de Cuidados Intermediários (UCI), com 27 leitos, 16 consultórios especializados (ginecologia, cardiologia, mastologia, endocrinologia, hematologia, psiquiatria, entre outros) e realiza exames de imagem (tomografia, ressonância magnética, ultrassom, raio X, entre outros). O hospital conta com 1.108 profissionais (158 médicos; 236 outros profissionais de nível superior; 552 profissionais de nível médio/administrativo; 162 profissionais de nível fundamental).

O atendimento da maternidade e as urgências referentes à assistência materno infantil do Hospital da Mulher também serão reguladas. Neste acaso, a mulher deve se dirigir à rede de maternidades de baixa complexidade do Município (Barros Lima, Arnaldo Marques e Bandeira Filho) e de acordo com o perfil do procedimento e classificação de risco, essas maternidades realizam o encaminhamento para o Hospital da Mulher. Os serviços estão sendo implantados de forma gradativa, como ocorre com os todos os hospitais de grande porte, seguindo a lógica da assistência para melhor segurança das usuárias.

CASA DAS MÃES – O Hospital da Mulher do Recife conta ainda com a “Casa das Mães”, uma hospedaria com 20 leitos, onde as mães serão acolhidas quando receberem alta, mas seus bebês continuarem internados após o parto. As mulheres poderão apoiar a recuperação do seu filho e manter o vínculo com o bebê até que ele esteja apto a receber alta hospitalar.

CENTRO DE ATENÇÃO ÀS MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA – Nesse espaço, as mulheres vítimas de violência terão apoio de equipe especializada e formada por vários profissionais  – psicólogo, médico, enfermeiro e assistente social – que prestarão o atendimento multidisciplinar. Além do suporte à mulher, o Centro terá um papel importante ao  empoderar e preparar essas mulheres para romper o ciclo de violência sofrido. Todo o acolhimento terá o cuidado de não expor a vítima.

SAMU – O Hospital da Mulher também conta com uma base descentralizada do SAMU 192, a 10ª da cidade, com uma Unidade de Suporte Básico (UBS), Unidade de Suporte Avançada (USA) e seis profissionais. A descentralização dará maior resolutividade ao atendimento com menor tempo de resposta.

ALTA TECNOLOGIA – O Hospital da Mulher do Recife ofertará ampla variedade de exames, abrangendo todo o desenvolvimento da mulher desde sua infância até a fase da melhor idade, com um centro de diagnóstico por imagem comparado aos grandes hospitais do Brasil. O investimento nesses equipamentos de tecnologia foi da ordem de R$ 25 milhões.

As gestantes de alto risco terão acesso a equipamentos adequados ao acompanhamento da gravidez, como o cardiotocógrafo, que permite que o bebê seja monitorado desde a barriga da mãe, até seu nascimento. O bloco cirúrgico dispõe de 06 salas cirúrgicas amplas, equipadas por sistema de climatização com filtros especiais, para realização desde partos cirúrgicos até histeroscopia cirúrgica – diagnóstico de patologias intrauterinas – promovendo grande variedade de procedimentos com segurança e conforto para as pacientes.

O primeiro grande hospital da rede pública municipal também tem um centro de parto humanizado, com quarto com banheira para realização de parto na água. Esses ambientes permitem que a gestante evolua no seu trabalho de parto acompanhada e com toda a infraestrutura e equipamentos necessários para o procedimento.

CARTÓRIO – O Hospital da Mulher do Recife tem um cartório próprio, ou seja, os cerca de 400 bebês que nascerem mensalmente na unidade já sairão do HMR devidamente registrados.


EQUIPAMENTOS:

Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT)
•         Tomografia
•         Patologia Clínica
•         Eletrocardiografia
•         Densitometria Óssea
•         Urodinâmica
•         Radiologia Convencional e Contrastada
•         Tococardiografia
•         Colonoscopia
•         Ultrassonografia
•         Ecocardiografia
•         Endoscopia
•         Mamografia

HOSPITAL DA MULHER EM NÚMEROS:
•         1.108 profissionais em atuação no pleno funcionamento;
•         158 médicos;
•         236 outros profissionais de nível superior;
•         552 profissionais de nível médio/administrativo;
•         162 profissionais de nível elementar;
•         13.348,98 m² de área construída;
•         150 leitos (internamento)

Nenhum comentário:

Postar um comentário