quinta-feira, 23 de junho de 2016

Prefeito Geraldo Júlio encontra mentores de projetos do Porto Social no Recife

Uma manhã de trocas de experiências, depoimentos apaixonados pelos trabalhos desenvolvidos na área social e muita expectativa pela nova etapa que se inicia. 

Foi assim o encontro do prefeito Geraldo Julio, na manhã desta quinta-feira (23), com os responsáveis pelos 50 projetos selecionados pelo Porto Social, a incubadora de projetos sociais da Prefeitura do Recife. 

O objetivo do evento, que também contou com a presença de parceiros privados que apoiam o projeto, foi apresentar cada uma das iniciativas que abrangem áreas como cidadania, educação, meio ambiente, inclusão, turismo, cultura, prevenção às drogas, entre outras.

"Os empreendedores sociais vieram, apresentaram suas ideias, houve uma comissão que selecionou os 50 primeiros projetos que estão aqui incubados e a gente hoje aqui conheceu todos os 50. São pessoas apaixonadas pelo que fazem, são pessoas que transformam a vida de muita gente e a gente viu aqui hoje com muita alegria. A nossa cidade tem um potencial muito grande no empreendedorismo social e o Porto Social vai organizar. 

O Recife já é referência para o Brasil em solidariedade com o Transforma Recife e vai ser agora em empreendedorismo social com o Porto Social", afirmou o prefeito Geraldo Julio.
O gestor também destacou que a Prefeitura do Recife foi a grande mobilizadora do Porto Social junto com parceiros privados que se engajaram na iniciativa como a Interne Educação, que cedeu o espaço físico onde o Porto Social está instalado, e com a participação dos projetos sociais. 

Ao todo, 253 projetos se inscreveram no edital aberto pelo Porto Social e os 50 inicialmente selecionados representam um total de 150 pessoas.

Entre elas está Verônica Ribeiro que atua no projeto Dez +, formado por dez grupos de mulheres produtoras de artesanato, em sua maioria, que moram em cidades pernambucanas como Salgueiro e Recife e cujo objetivo é dar visibilidade e sustentabilidade do ponto de vista de renda e elevação da auto estima. 

"O nosso projeto é uma plataforma colaborativa de comercialização, uma loja virtual para levar para o mundo os produtos feitos por essas mulheres com material reciclado ou reflorestado e não as tirar das comunidades em que vivem. O Porto Social vai nos dar três coisas muito importantes: a possibilidade de escalabilidade; o suporte jurídico para esse modelo de negócio social que á algo muito novo e a gestão para garantir a sustentabilidade", comemorou.

 O coordenador do Porto Social, Fábio Silva, explicou como é o apoio oferecido aos projetos selecionados a partir de mentorias e capacitações. "Foi feito um diagnóstico e foi visto qual a maior necessidade de cada um deles, alguns na área jurídica, outros na área de comunicação, captação de recursos, liderança e a gente vai atuar customizado de acordo com as necessidades das 50 iniciativas. 

O Porto Social já está em pleno funcionamento, elas já estão utilizando o espaço de coworking para o ambiente de trabalho, já estão fazendo reuniões aqui e trazendo os seus apoiadores. Agora todas as organizações sociais, todos os negócios sociais, ideias e projetos da cidade do Recife têm o apoio na gestão através do Porto Social", pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário