quarta-feira, 8 de junho de 2016

Vandalismo e abandono no Terminal Integrado da PE-15 no Grande Recife

O TI da PE-15 é o mais antigo dos terminais de integração e um dos que estão em pior estado com problemas na infraestrutura e pichações



O Grande Recife Consórcio disse reconhecer as condições em que se encontra o Terminal Integrado PE-15. Foto: Júlio Jacobina/DP


Enquanto o Grande Recife Consórcio inaugura novos terminais integrados, da infraestrutura do mais antigo terminal da Região Metropolitana do Recife (RMR), o TI PE-15, localizado no bairro de Ouro Preto, em Olinda, deixa muito a desejar. A situação de abandono da plataforma é visível de longe, até mesmo por quem não precisa utilizar o sistema ou acessar a estação. Da própria rodovia PE-15, vê-se o capim tão alto que, na saída dos ônibus sentido Recife, o mato já tomou conta do muro. Ainda de fora, nota-se que a falta de cuidado e de manutenção resultou em paredes pichadas, acúmulo de lixo e de sujeira, calçamento quebrado e vidros das janelas estilhaçados.

Do lado de dentro, o descaso é sentido pelo passageiro, que não paga barato o bilhete. A técnica em radiologia Andréa Araújo, 38 anos, que usa diariamente o equipamento, conta que às vezes é difícil ir ao banheiro. “Não tem água, as portas não possuem trancas, e as pias ou não têm a torneira ou não têm cuba. Se a gente desce dentro da estação mas precisa pegar alguma linha que passa fora do terminal, o acesso é difícil”, lamenta Andréa. Atualmente, o TI PE-15 atende cerca de 39 mil usuários e por ele circulam 17 linhas de ônibus, que realizam diariamente 1.779 viagens. Através do TI PE-15, é possível acessar importantes estações de metrô, como Afogados e Joana Bezerra.

O Grande Recife Consórcio disse reconhecer as condições em que se encontra o Terminal Integrado PE-15. No caso da capinação, o órgão se limitou a dizer em nota que “o serviço de capinação é realizado obedecendo um cronograma, pois também é realizado em outros TI’s. Para o da PE-15, o serviço será realizado em breve”, explicou em nota o órgão.

Sobre os banheiros e janelas, o Grande Recife culpou as ações de vândalos. “Para se ter uma ideia, no período de 3 meses, 33 itens foram trocados nos banheiros do terminal, entre torneiras, bacias sanitárias, sifões e caixas de descargas. De toda forma, a equipe da manutenção do Consórcio irá na próxima semana até o local para fazer um levantamento e providenciar novamente a reposição dos materiais”. Na mesma nota, o órgão solicitou contar “com a colaboração dos usuários na preservação do patrimônio público”.

O doutor em mobilidade urbana Oswaldo Lima Neto pondera que o vandalismo, muitas vezes, é retroalimentado pela própria situação de abandono, descaso e sujeira em que se encontram alguns equipamentos. Ele comparou as condições do Terminal Integrado PE-15 com a atual situação do metrô. Seja por dificuldades orçamentárias, seja por problemas de gestão, não investir na manutenção, nos cuidados e na limpeza dos equipamentos de transporte público abre espaço para o vandalismo.

“Realmente, há ações de vândalos. Mas a maioria da população que usa o SEI não é vândala. E não pode ser punida por isso. O SEI é estruturado nos terminais, são as peças-chave do sistema”, defende Oswaldo. Ele lembra que o governo não pode descuidar deles, com risco de sucatear completamente o sistema, como tem acontecido com o metrô. “O transbordo não é uma coisa boa. Quanto mais desfavorável for o ambiente nos terminais e nos ônibus, mais fomenta o sentimento de maus-tratos e de revolta. Do contrário, se o passageiro está num ambiente limpo, iluminado, ele se sente respeitado e diminui a sensação de desagrado ao transbordo”, coloca o especialista. 


Por: Rosália Vasconcelos - Diario de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário