quarta-feira, 20 de julho de 2016

‘Abaporu’ vem ao Brasil para as Olimpíadas

‘Abaporu’, quadro emblemático do modernismo brasileiro, de autoria de Tarsila do Amaral, volta ao Brasil para as Olimpíadas do Rio 2016. A obra, que tem o Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires (Malba) como residência, chega ao País nesta quarta (20), e só retorna à terra do tango no dia 21 de setembro. Começa a ser exibida no Museu de Arte do Rio (MAR) a partir do dia 2 de agosto.

'Abaporu' começa a ser exibida no Museu de Arte do Rio (MAR) no dia 2 de agosto Foto: Divulgação
A visita da obra suscitou velhas discursões entre os apreciadores da arte. Há quem diga que a residência de uma obra de arte deve ser o seu local de origem. Há quem defenda, porém, que a arte é universal e deve circular pelo mundo. Episódios como este já aconteceu em diferentes situações na história mundial, como a conhecida batalha pela obra 'O Retrato de Adele Bloch-Bauer' (A Dama Dourada), de Gustav Klimt, roubada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, que gerou polêmicas na época ao ser retirada da Áustria, após uma intensa batalha judicial que deu vitória aos Estados Unidos (*).

Com 'Abaporu’, no entanto, a situação é diferente. A obra pertence a Eduardo Constantino, fundador do Malba, que comprou a tela em 2001 em Nova Iorque por US$ 1,3 milhão. Especialistas acreditam que, atualmente, a obra de Tarsila está avaliada em US$ 45 milhões, atraindo milhares de visitantes onde quer que esteja.

(*) A batalha jurídica entre Maria Altmann, austríaca que fugiu com o marido para os Estados Unidos durante a guerra, contra o governo da Áustria, foi para recuperar obras de arte da coleção de seu pai. Entre as peças estava o famoso quadro de Klimt, que retrata sua tia Adele, e que até 2006 era o orgulho da Galeria Nacional Belvedere, em Viena. Naquele ano, após vencer a causa com o seu advogado, Ronald Schoenberg, Maria vendeu o retrato de Adele para Ronald Lauder, cofundador da Neue Galery, de Nova York, por US$ 135 milhões, o maior valor pago por uma pintura até então.

Nenhum comentário:

Postar um comentário