sexta-feira, 22 de julho de 2016

Accenture lança programa de olho nas startups

Empresa lança o programa UP Innovation Lab, para que negócios inovadores ganhem espaço no mercado



Jedson Nobre/Arquivo Folha
BRF é uma das indústrias que estão abertas a receber projetos das startups brasileiras

Tecnologia e economia caminham juntas no programa Up Innovation Lab, lançado pela Accenture, empresa global em serviços de tecnologia. Basicamente, o projeto tem a missão de aumentar a competitividade de dois setores econômicos - serviços financeiros e varejo - por meio de startups que já tenham um produto validado e queiram ter a oportunidade de apresentá-lo e testá-lo junto a grandes empresas do País. Na prática, de acordo com o diretor-executivo e líder de inovação da Accenture, Guilherme Horn, as startups terão o objetivo de inovar em produtos de serviço para o mercado, além de posicionar a empresa como inovadora.

“Não é um programa para a Accenture, mas para o País”, afirmou. O principal critério para a seleção das startups será a inovação que ela poderá trazer ao segmento. “No entanto, essa inovação não pode ser voltada somente às necessidades específicas da empresa em que ela vai atuar. É importante que seja para a indústria como um todo”, lembrou Horn. “O programa vai permitir que as startups deem um salto no crescimento ao fim do processo”, ponderou. “É uma grande oportunidade para Pernambuco, que tem a grande vantagem de ter startups conectadas às maiores empresas do País, além, claro, de ter um centro de tecnologia como o Porto Digital”, observou. As inscrições vão até o dia 12 de agosto pelo site www.upinnovationlab.com.br.

Entre as empresas relacionadas aos setores e que já foram selecionadas para participar do programa estão a BRF, a Ambev, a Cetip, a Rede GPA e o Banco do Brasil. De acordo com Horn, o setor de Serviços Financeiros foi escolhido, sobretudo, porque a Accenture já tinha experiência no segmento fora do País, por meio do programa Fintech Innovation Lab - referência em Nova York, Londres e Dublin desde 2010.

“Hoje, esse setor está muito ligado ao varejo, por isso, optamos por englobar os dois”. Ele esclareceu que as empresas foram escolhidas, basicamente, por relevância na indústria econômica de que fazem parte. “Participação de mercado é o nosso maior critério”, justificou Horn, complementando que, até o fim das inscrições, outras empresas também serão escolhidas para fazer parte do Up Innovation Lab. “A intenção é que a Accenture amplie o programa para outras áreas como saúde, governo e outras indústrias”, adiantou.

Isabela Alves, da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário