sexta-feira, 8 de julho de 2016

COMO O BLOG DAS PPPs ADIANTOU ANTES DE TODOS :Cais do Imperador tem prazo para funcionar no Recife

Estação ecoturística na avenida Martins de Barros será aberta dentro de dois meses


Clemilson Campos
Cais está em obras e 99% do trabalho já foi realizado. Público conhecerá o novo espaço até 30 de agosto

A estação ecoturística Cais do Imperador está prestes a ser entregue aos recifenses. Após entraves com a licitação, a gestão municipal firmou, enfim, parceria com a empresa que vai ocupar a área onde funcionará o café bar, na avenida Martins de Barros, no Centro do Recife.


Assinado o convênio, os proprietários têm até o dia 30 de agosto para deixar o ponto gastronômico pronto para funcionamento. A divulgação foi feita na última qiunta-feira (8), por meio de publicação no Diário Oficial do Recife. O custo total das obras do cais, que está sendo construído nas ruínas do píer criado para receber Dom Pedro II, foi de R$ 850 mil.

“Não faria sentido algum abrir o cais e colocar os tapumes apenas no entorno do café bar. Queremos entregar toda estação ecoturística pronta. Digamos que a estação está 99% pronta para ser inaugurada”, comemorou o secretário-executivo de Unidades Protegidas da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentatibilidade, Romero Pereira, responsável pelo acompanhamento do projeto.

Encontrar uma empresa que assumisse o ponto gastronômico foi a dificuldade principal para abrir o espaço ao público. A legislação municipal permite a abertura de três licitações para o mesmo fim. Caso todas fracassem, é autorizada a negociação direta, o que aconteceu. O novo empreendimento será responsável pela manutenção e operação não só do café bar, mas de todo o espaço público. O valor do aluguel está orçado em cerca de R$ 2,5 mil.

Nos próximos dias, o futuro café bar ganhará um telhado verde, conforme a proposta inicial do projeto. Além disso, Pereira adiantou que o espaço terá um exposição permanente que retratará, por meio de painéis, a história do Cais do Imperador e da praça Dezessete, situada logo à frente. “Muita gente passa pela área e não tem a mínima ideia do valor histórico que o lugar carrega. Muitos não sabem que se trata de um antigo píer criado só para receber Dom Pedro II e sua família”, contextualiza o secretário-executivo.

O ponto gastronômico se situará no lugar onde funcionou uma subestação para ônibus elétricos.
A ecoestação também vai contar com um posto de informação turística e um núcleo de educação ambiental. Ambos os espaços funcionarão no lugar dos antigos banhei­ros públicos. No local on­de funcionará um anfiteatro, o projeto luminotécnico está praticamente instalado. Cadeiras resistentes à maresia também serão fincadas próximas às quaresmeiras, formando um espaço de convívio.

Café bar

Dispondo de uma área de 100 metros quadrados, o café bar tem grande parte da sua fachada envidraçada. A intenção é não interferir na paisagem natural e possibilitar que as pessoas contemplem o rio e o conjunto de construções seculares do Bairro do Recife. “Estamos com uma proposta bem ousada e diferente. As pessoas associam a marca à cafeteria, mas traremos também cartilha de vinhos, cervejas artesanais, chopp e whisky. À noite, eventos de jazz, blues e rock alternativo. Em breve, o público vai poder curtir um novo conceito de cafeteria”, afirmou um dos sócios da unidade, Hector Spagnol.

Priscilla Costa, da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário