domingo, 24 de julho de 2016

Hotel Central, o primeiro Arranha-céu do Recife - Por Augusto Saboia

Hotel Central

Construído nos anos 30 e simbolo da noite agitada do Recife, o Hotel Central que recebeu ilustres hospedes como Carmem Miranda, Getúlio Vargas e Orson Welles , Grande Otelo, Badú, o casal Maria e Paul Biró, integrantes do Trio de Ouro (Nilo Chagas, Dalva de Oliveira), Ary Cordovil, Reina Aurora Lincheta Hidalgo e Miguel Cruz Herra, entre outros.

No momento da inauguração, os anúncios de publicidade diziam que o hotel estava instalado no maior e mais elegante arranha-céus do norte do Brasil, prometendo luxo, conforto e distinção a seus hóspedes. O local pertenceu primeiramente à empresa G. Kyrillos & Cia, mas foi posteriormente vendido a Domingos Magalhães, também proprietário do Palace Hotel e do Hotel Alliança. 

Seus oito andares, sessenta quartos e mais de 1.900 m de área construída são recheados de história e elementos arquitetônicos bem conservados, em seu sétimo andar ocorriam grandes festas e banquetes oferecidos a alta sociedade pernambucana, e em seu último andar hóspedes e convidados visualizavam a cidade e os navios atracando no porto do Recife.

Não resta dúvida que o Hotel Central é uma peça importante no passado do Recife e ainda se mantem imponente já que o mesmo tem média de 60% de ocupação segundo Kerginaldo Magalhães Bastos um dos donos do imóvel.

Hoje é um prédio tombado e tem o objetivo de preservar bens de valor cultural,  arquitetônico, histórico, ambiental e também impedir sua destruição e descaracterização.

O mais antigo hotel do Recife localiza-se no Nº 209 da Av. Manoel Borba (antiga Rua da Intendência), o Hotel Central, construído pelo empresário grego Constatin Aristides Sfezzo, foi durante muito tempo, juntamente com o famoso Arranha-Céu da Pracinha, ambos com oito pavimentos, o mais alto edifício do Recife. Foi pioneiro também na construção de um elevador panorâmico.

Tanto o hotel Central como o Arranha-Céu da Pracinha foram construídos com a mesma planta pelo mesmo empresário. Abr. Isaac.

Arranha-céu da Pracinha







Nenhum comentário:

Postar um comentário