terça-feira, 5 de julho de 2016

ONG planeja criar ônibus com banheiros para moradores de rua no Recife

Projeto da Prosol é um dos cinquenta incubados pelo Porto Social e pretende dar um "banho" de inclusão nessas pessoas


O banho de Fábio pouco tem de humanidade. Tal qual bicho, ele adentra um bueiro por onde passa uma tubulação perfurada. Apossa-se de uma mangueira improvisada e começa a ensaboar o corpo sobre a roupa usada ao longo do dia. Porque em público, o banho não tem privacidade, nunca é completo. É arranjo. Como toda pessoa em situação de rua, Fábio Rodrigo da Silva, 30 anos, não tem direito a banho digno.

Pessoas como ele lavam-se em fontes e lagos de praças, canos rompidos, banheiros públicos. A higiene acontece, na maioria das vezes, ao anoitecer no Centro do Recife. O horário é escolhido para chamar menos atenção de quem passa.

Fábio é maranhense, mas foi parar nas ruas do Recife porque não conseguiu um emprego na capital pernambucana e ainda foi roubado enquanto dormia na Praça do Derby. Está nessas condições há um mês. “Em primeiro lugar está a comida e a roupa. Mas sem banho não dá para ficar. Tenho que tomar todo dia, senão fico fedendo e o povo olha ainda mais pra gente”, conta. 

Marcelo Hortêncio de Lima, 29, paraibano e companheiro de rua, concorda. “A gente também procura o Parque 13 de Maio e a Cristolândia, onde tem café, banho e almoço”, diz, referindo-se a uma missão da Igreja Batista, na Boa Vista. Fábio e Marcelo vivem na Praça Maciel Pinheiro, no Centro do Recife.

Pedro Cavalcanti é advogado. Faz parte da ONG Projeto Missão Solidária (Prosol). Dia desses, presenteou Luiz Severino da Silva, 54 anos, sendo 49 nas ruas, com uma toalha verde. Luiz ficou feliz. Assim como outras pessoas em situação de rua, faz o que pode para ter o corpo limpo. “Vou no banheiro de Jarbas, mas lá só funciona de manhã. Pago R$ 1. Não dá para ir todo dia”, diz, referindo-se a um espaço público localizado, segundo ele, na Avenida Dantas Barreto. Pedro e outros voluntários do Prosol andam pensando em uma ideia para aliviar a situação dessas pessoas. Querem criar um ônibus com oferta de banho.

O veículo ainda não existe, mas é inspirado em ações semelhantes, como a internacional Lava Mae, da Califórnia, e o Banho Saudável, da Bahia. “O da Califórnia oferece também ações de cidadania, como acesso a documentos e saúde. Ele é nossa grande inspiração. O da Bahia, além do banho, oferta o jantar”, explica Morgana Lima, também voluntária.

O Prosol foi escolhido para ser incubado no Porto Social durante um ano. “Queremos sair de lá com capacidade para conseguir emplacar o projeto, colocar ele nas ruas no próximo ano. A ideia é levar o ônibus para as ruas três vezes por semana para um banho de inclusão. Aparentemente é uma ideia simples para as pessoas que têm acesso à higiene na rotina. Mas um banho é o mínimo de dignidade que alguém pode ter, até mesmo para se apresentar e conseguir um emprego, por exemplo” completa Pedro.

Enquanto o ônibus não chega onde o morador de rua está, a Prefeitura do Recife disponibiliza dois espaços para essas pessoas tomarem banho: os centros Pop Glória, na Rua da Glória, 459, na Boa Vista, e o Neuza Gomes, na Rua Cândido Lacerda, 364, no Torreão. Os centros funcionam das 8h às 17h.


Por: Marcionila Teixeira - Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário