sexta-feira, 15 de julho de 2016

Órgãos se unem para lançar manual digital de cooperativas e catadores para descarte de correto de resíduos em Pernambuco

Publicação digital orienta sobre descarte correto e traz endereços de empresas e associações ​que fazem reciclagem em Pernambuco 


Sabe aquele computador de mesa que não tem mais conserto ou aquele monte de pilhas usadas em brinquedos e câmeras fotográficas que não devem ser descartadas no lixo comum, mas que você não sabe exatamente onde destinar, sem agredir o meio ambiente? Foi justamente pensando em ajudar o cidadão a encontrar os locais adequados para entrega de pilhas, baterias, equipamentos eletroeletrônicos, além de outros materiais recicláveis, que a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (SEMAS – PE), em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) lança um manual em formato digital contendo endereços e telefones de empresas, cooperativas e associações de catadores, além de organizações não governamentais em funcionamento em todo o estado. O livreto está disponível no site das intituições: www.semas.pe.gov.br / www.fundaj.gov.br / www.ufpe.br

Em breve, o manual também estará disponível por meio de um aplicativo e poderá ser acessado por celulares. 

O objetivo é destinar, através da reciclagem, toneladas de resíduos que iriam parar em aterros sanitários. O manual reuniu os levantamentos sobre os locais de recebimento de resíduos existentes em Pernambuco, que já vinha sendo elaborado de forma independente por cada instituição envolvida. Além disso, os pesquisadores e gestores públicos que participaram da elaboração da publicação apresentam, de forma didática, informações e características de cada resíduo, os riscos que cada um deles pode provocar à saúde das pessoas e ao meio ambiente e a quem cabe à responsabilidade de recolher materiais que podem contaminar o solo, os recursos hídricos e comprometer a saúde. ​

“Criar um processo circular de reaproveitamento e reciclagem de matéria prima reduz impactos ambientais, gera empregos, melhora a rentabilidade das empresas e é passo fundamental na construção de uma economia sustentável”, destaca o secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier. 

As baterias automotivas, por exemplo, quando devolvidas ao fabricante passam por um importante processo de recuperação e parte da matéria-prima volta para o ciclo de produção de novas unidades. Este é um dos exemplos do uso da logística reversa, conceito presente na Lei Federal 12.305/10 e do Decreto 7.407/10, que a define como “um instrumento que viabiliza um conjunto de ações para viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento ou destinação final adequada”.


Para a analista ambiental da SEMAS - PE, Adriana Dornelas, é importante enfatizar que cada segmento da sociedade tem o seu papel no descarte dos resíduos: a indústria (o produtor),  a população (o consumidor ) e o gestor público, cada um deve cumprir o que está determinado na legislação ambiental, que no caso de Pernambuco é regulamentada pela Lei 14.236/10. Ao Poder Público é às empresas compete, por exemplo, disponibilizar o que chamamos de pontos de entrega voluntária (PEV). ”É a partir dos locais de devolução que cada material poderá retornar à cadeia produtiva ou ter uma destinação final correta”, destacou a analista da área de resíduos sólidos.

O manual também deverá ser bastante utilizado pelos municípios pernambucanos que implantaram a sua coleta seletiva, com o apoio do Projeto Recicla PE. Ao todo são 11 municípios do Agreste e do Sertão que já possuem associações e cooperativas atuando na reciclagem e na logística reversa, gerando emprego e renda. Para a Secretaria de Meio Ambiente, o interessante é que o conteúdo do manual possa chegar professores, gestores públicos municipais e à sociedade de uma forma geral. 

Pensando nisto, as equipes da SEMAS, FUNDAJ e UFPE farão palestras a partir do mês de julho para divulgar o conteúdo da publicação. No evento da SEMAS, serão convidados os representantes de cooperativas e associações que participam do Projeto Relix, que realiza ações de educação ambiental e de apoio aos catadores, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente. O objetivo é que cada um deles se torne um multiplicador, divulgando o manual nas regiões onde atuam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário