terça-feira, 19 de julho de 2016

UFPE e Univasf poderão ter novos campus

Ministro da Educação, Mendonça Filho diz que está disposto a ajudar reitores a implantarem novas unidades acadêmicas

Mendonça Filho participou de debate na Rádio Jornal, com Geraldo Freire, na manhã desta segunda-feira / Foto: Guga Matos /  JC Imagem
Mendonça Filho participou de debate na Rádio Jornal, com Geraldo Freire, na manhã desta segunda-feira
Foto: Guga Matos / JC Imagem


As Universidades Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal do Vale do São Francisco (Univasf) poderão ganhar dois novos câmpus: em Goiana, na Zona da Mata (UFPE) e em Salgueiro, no Sertão (Univasf). A expansão faz parte dos planos institucionais das duas universidades. O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), disse na manhã desta segunda-feira (18), em entrevista a Geraldo Freire, na Rádio Jornal, que está disposto a ajudar os reitores a viabilizarem a implantação das novas unidades acadêmicas.

“Há a possibilidade de um novo câmpus da UFPE e isso depende da iniciativa do reitor (Anísio Brasileiro). Não depende só do ministro ou do ministério. O MEC está aberto a discutir o assunto, mas temos que aguardar os desdobramentos da UFPE, como a elaboração do projeto”, comentou Mendonça, ressaltando a expansão industrial que a Mata Norte pernambucana está vivenciando. A UFPE tem atualmente três câmpus: no Recife, em Vitória de Santo Antão (Zona da Mata) e Caruaru (Agreste).

Segundo o reitor Anísio, a ideia é inicialmente criar uma unidade de laboratórios em Goiana para desenvolver pesquisas nas áreas de engenharia automotiva, fármacos e medicamentos. “Depois queremos evoluir para oferecer graduações. Mas ainda não temos nem o terreno em Goiana”, enfatizou Anísio.

Ele disse que outras prioridades na UFPE (e que dependem de verbas do MEC) são a conclusão, no Recife, de quatro prédios (para os cursos de medicina e as engenharias de alimentos, produção e naval) e a reforma do Centro de Convenções; a construção de um complexo de ciências do esporte em Vitória e a edificação de quatro prédios em Caruaru (para os cursos de comunicação e design, já existentes, e o bacharelado em ciência e tecnologia, que ainda será criado).

Sobre a Univasf, o ministro contou que semana passada recebeu o reitor (Julianeli Tolentino), em Petrolina. “Ele comentou que expandiu a Univasf na Bahia, com dois novos câmpus, dentro do Reuni (programa federal de reestruturação das universidades federais). Eu disse que gostaria de equilibrar o jogo trazendo a expansão também para Pernambuco. Salgueiro tem um pleito histórico e pode ser a cidade escolhida”, observou Mendonça.

O ministro lembrou que liberou recentemente R$ 15 milhões para a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) iniciar a construção do câmpus que fica no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. “Espero que em dois anos o prédio esteja pronto”, afirmou.


JC Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário